Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Taxistas prestam homenagem em velório de Boechat: ‘Entendia a gente’

Grupo de motoristas compareceu ao velório para se despedir do jornalista, a quem ouviam no rádio, enquanto trabalhavam, e conheceram como passageiro

Um grupo de taxistas prestou homenagem a Ricardo Boechat, durante o velório do jornalista na madrugada desta terça-feira, 12. Ao menos dois deles fazem ponto no shopping Cidade Jardim, localizado na região do Morumbi, Zona Sul de São Paulo, próximo aos estúdios da Grupo Bandeirantes de Comunicação, onde Boechat trabalhava. Ele morreu nesta segunda-feira, aos 66 anos, em um acidente de helicóptero.

Os motoristas colocaram uma placa de táxi em cima do caixão de Boechat, em um tributo ao jornalista – a quem ouviam no rádio, enquanto trabalhavam, e conheceram como passageiro.

Motoristas colocam placa de táxi em cima de caixão de Ricardo Boechat

Motoristas colocam placa de táxi em cima de caixão de Ricardo Boechat (Ariane Ueda/VEJA)

“Estamos homenageando tudo que ele fez por nós. Ele falava a realidade que acontece com o setor. Tinha o privilégio de levar ele no meu carro, um homem justo e honesto, que falava a verdade para o povo brasileiro”, disse Bruno da Silva, um dos taxistas presentes.

Mauro Simões, outro motorista no local, também se recordava da simpatia do jornalista. “Ele era muito gente boa. Amável, tratava muito bem a gente, conhecia as nossas dificuldades. Como ia na academia do shopping Cidade Jardim, sempre o víamos”, comentou.

Ricardo Boechat era um dos jornalistas mais respeitados do país. Âncora do Jornal da Band, apresentador da BandNews FM e colunista da revista Istoé. Ele passou também, ao longo de sua carreira de quase cinco décadas no jornalismo, por jornais impressos de grande circulação, como O GloboO Estado de S. Paulo, Jornal do Brasil e O Dia. O piloto do helicóptero, Ronaldo Quattrucci, também morreu.