Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

TAM perde menina de 7 anos no aeroporto de Guarulhos

Criança viajaria para João Pessoa e foi deixada sozinha pelo funcionário responsável por acompanhá-la no embarque

Um funcionário da TAM Linhas Aéreas perdeu uma criança de sete anos no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, neste domingo. Por volta das 8 horas, a jornalista Carolina Petter e o publicitário Felipe Capelli deixaram a filha com um funcionário da companhia, responsável por embarcá-la na aeronave com destino a João Pessoa (PB), onde seria recebida pelos avós maternos. Além da criança, um cadeirante e uma idosa também seriam guiados pelo mesmo funcionário.

Após se despedir da filha, Carolina ficou preocupada com o atendimento e pediu aos representantes da TAM que avisassem quando ela entrasse no avião – uma vez embarcada, a criança deve ser levada até o assento por um funcionário da companhia aérea. “Após dez minutos, uma funcionária me garantiu que minha filha havia embarcado. Decidi mandar uma mensagem para po celular dela e desejar boa viagem”, contou a mãe. Foi o momento do susto. A resposta da menina indicava que algo estava errado: “Obrigada, estou aqui esperando o moço voltar”. Carolina imediatamente telefonou para o celular da filha e descobriu que, na verdade, ela estava sozinha no aeroporto. Passou o telefone para o marido, que tentou acalmar a criança. “Felipe ficou muito nervoso ao perceber que ela estava em prantos”, contou.

Carolina foi até o balcão da companhia aérea para tentar entender o que havia acontecido. Uma funcionária – a mesma que havia garantido o embarque da menina – disse que confundiu o sobrenome dela com o de outra passageira. Carolina gravou a conversa com a funcionária da TAM (ouça o diálogo abaixo):

Depois de quarenta minutos de espera e desespero, a criança chegou ao balcão onde estavam os pais acompanhada de uma funcionária. Foi encontrada num portão diferente do reservado para o voo à Paraíba. “Ela correu e me abraçou. Não parava de chorar, estava muito assustada”, disse a mãe.

O casal registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil do Aeroporto de Guarulhos e uma reclamação formal na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Em nota, a TAM Linhas Aéreas afirmou que “houve uma falha no processo de embarque”, mas que “em momento algum a menor deixou de ser assistida por um funcionário”. Para embarcar crianças sem um acompanhante, a companhia cobra uma taxa de 100 reais pelo serviço de Supervisão de Menores Desacompanhados (UMNR).