Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Suspeitos do assassinato de Marielle negam envolvimento no caso

Ronnie Lessa e Elcio Viana, presos na madrugada desta terça-feira, se recusaram a prestar depoimentos na Delegacia de Homicídios

Os advogados de Ronnie Lessa e Élcio Vieira de Queiroz, acusados do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, negaram, nesta terça-feira 12, o envolvimento de seus clientes no caso. Logo após a prisão, Lessa e Queiroz receberam a visita dos advogados, na Delegacia de Homicídios, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Os suspeitos estão na delegacia, mas se recusaram a prestar depoimento, de acordo com informações divulgadas por policiais no início desta tarde.

“O Élcio não estava nem nesse dia. Eu tenho certeza de que não tem foto dele no carro e muito menos gravação dele nesse dia lá. E tenho certeza de que a vítima que sobreviveu não vai reconhecer o meu cliente”, disse Luís Carlos Azenha, advogado do ex-policial militar.

Queiroz foi expulso da corporação após chegar a ser preso na Operação Guilhotina, que investigou policiais civis e militares acusados de corrupção e de manter ligações com traficantes. “Ele não foi condenado na Operação Guilhotina. Ele estava pleiteando o seu reingresso na PM”, contestou Azenha.

O advogado de Lessa, Fernando Santana, disse que só conversou com seu cliente rapidamente depois da prisão e que ele nega a participação no crime. “Ele nega de forma veemente que tenha feito qualquer tipo de assassinato. Ainda vou ter acesso ao inquérito, não tive oportunidade de ter. Primeiro estava em segredo de Justiça, agora que nos peticionamos, eu e minha equipe, para poder ter ideia de como chegou à prisão do Ronnie Lessa”.

Durante toda a manhã, carros carregados de documentos chegaram à delegacia da Barra da Tijuca, resultado da execução de 34 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça. A informação de que Lessa e Queiroz teriam prestado depoimento chegou a circular, mas no começo da tarde policiais disseram que eles se negaram a prestar esclarecimentos.

Prisão

Os acusados de matar a vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e o motorista Anderson Gomes, em 14 de março do ano passado, foram presos  por volta das 5h desta terça-feira em operação conjunta do Ministério Público e da Polícia Civil do Rio de Janeiro. Ronnie Lessa é policial militar reformado e Élcio Vieira de Queiroz foi expulso da Polícia Militar. Os dois têm histórico de suspeitas e de envolvimento com atividades ilegais.