Clique e assine com até 92% de desconto

STJ manda soltar ex-subsecretário de Saúde do Rio

Decisão foi do ministro Benedito Gonçalves. Gabriell Neves está preso desde maio após a Operação Mercadores do Caos

Por Cássio Bruno 4 set 2020, 22h40

Preso desde 7 de maio na Operação Mercadores do Caos, Gabriell Neves, ex-subsecretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro, será solto na noite desta sexta-feira, 4. Neves está na Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira, conhecida como Bangu 8, na Zona Oeste da capital. A decisão foi do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Benedito Gonçalves.

Neves era subordinado ao ex-secretário de Saúde Edmar Santos, cuja delação premiada baseou o afastamento do governador Wilson Witzel do cargo, também determinado pelo magistrado na semana passada. A defesa do ex-subsecretário, responsável pelas compras do setor e suspeito de participar das fraudes, confirmou a informação a VEJA.

Na decisão, Benedito Gonçalves impôs uma série de medidas cautelares a Gabriell Neves. Entre elas, a proibição de manter contato com outros investigados no caso e com as testemunhas e de deixar o país. O ex-subsecretário foi exonerado em abril por Wilson Witzel. Os contratos suspeitos, sem licitação, somam quase 1 bilhão de reais para a compra de respiradores, testes rápidos e máscaras a pacientes com o novo coronavírus.

  • Em entrevista exclusiva a VEJA em 29 de abril, Gabriell Neves contou que todas as compras da Secretaria estadual de Saúde eram determinadas por Edmar Santos, que também chegou a ficar preso. “As compras eram determinadas pelo secretário Edmar Santos ou com anuência dele. Outras pessoas também poderiam, eventualmente, demandar uma necessidade. Mas tudo era feito em consonância com o secretário. Ele avalizava o que era solicitado pelos quadros técnicos”, afirmou Neves. Em depoimento a promotores do Ministério Público estadual, ele admitiu as irregularidades.

    Continua após a publicidade
    Publicidade