Clique e assine a partir de 9,90/mês

STJ determina libertação de ex-governador da PB acusado de corrupção

Ricardo Coutinho é investigado por corrupção, lavagem de dinheiro e fraude a licitações públicas

Por Agência Brasil - 21 Dec 2019, 19h57

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Napoleão Nunes Maia Filho determinou neste sábado, 21, que Ricardo Coutinho, ex-governador da Paraíba, seja libertado imediatamente. Coutinho é investigado por corrupção, lavagem de dinheiro e fraude a licitações públicas.

O político havia sido preso na quinta-feira, 19, durante uma sub-fase da Operação Calvário, chamada de Juízo Final. A operação investiga o desvio de R$ 134,2 milhões em verbas públicas de saúde.

O irmão de Ricardo Coutinho, Coriolano Coutinho, acusado de ser o receptor das propinas e integrante da quadrilha que realizava os desvios, também cumpre prisão preventiva desde ontem (20), em ordem expedida pela juíza Laurita Vaz, do STJ.

A liminar que determina a soltura do ex-governador da Penitenciária de Mangabeira, em João Pessoa (PB), foi expedida após a publicação de um parecer da Procuradoria-Geral da República, que pedia a manutenção da prisão preventiva de Coutinho. Segundo o argumento da PGR, Ricardo Coutinho tem atuação “fortíssima” no comando da quadrilha, e continua na liderança do grupo.

Continua após a publicidade

De acordo com a coluna Radar, a ação promete ter consequências no Rio de Janeiro. Um dos colaboradores dessa fase da operação é o empresário Daniel Gomes da Silva, que liderava o esquema desmontado pelos investigadores. Em uma delação homologada pelo Superior Tribunal de Justiça, ela relatou seu envolvimento com a campanha de Wilson Witzel.

Publicidade