Clique e assine a partir de 8,90/mês

SP: PT tenta atrair PCdoB para apagar ‘onda negativa’

Cúpula comunista esteve reunida para tratar da aliança em torno de Haddad. Ideia dos pestistas é criar um novo fato para ofuscar a desistência de Erundina

Por Thais Arbex - 20 jun 2012, 20h04

A cúpula do PT em São Paulo trabalha para fechar o quanto antes a aliança com o PCdoB em torno da candidatura do ex-ministro Fernando Haddad para a prefeitura de São Paulo. Mais do que o tempo de TV dos comunistas, o que está em jogo para os petistas é converter o quanto antes a ‘onda negativa’ causada pela desistência da deputada Luiza Erundina de ser candidata a vice na chapa petista.

Os petistas formaram uma força-tarefa para atrair o PCdoB e fechar a semana com uma agenda positiva – embora o discurso oficial seja que o impasse “é algo momentâneo, que tende a ser superado”. Apesar da pressa, o PT só pretende voltar a falar em nome do vice da chapa quando o arco de alianças estiver fechado. Leia mais: Augusto Nunes: intuição política de Lula foi enterrada nos jardins de Maluf Erundina: “Lula deve ter percebido o fora que deu”

Assim que soube que Erundina não abriria mão de seus princípios para fazer campanha ao lado de Paulo Maluf, Haddad ligou para os líderes do PCdoB para avisar sobre a mudança de cenário. O interlocutor escolhido foi o ex-ministro Orlando Silva. Nesta manhã, antes das dez horas, o pré-candidato petista, Fernando Haddad, recebeu o ex-ministro do Esporte para um café da manhã em sua casa. “Temos uma conversa avançada com o PCdoB. Eles deram esse sinal de que existia essa possibilidade de aliança”, afirmou o vereador Antônio Donato, coordenador da campanha do ex-ministro. Com a saída de Erundina, os comunistas negociam o nome da deputada estadual Leci Brandão para a vice. A sambista, no entanto, enfrenta resistência no PT. Os petistas pediram que o PCdoB indique outros nomes. Reunião – Durante a tarde, a cúpula comunista esteve reunida na Câmara dos Vereadores. Participaram do encontro os vereadores Netinho de Paula e Jamil Murad, o ex-ministro Orlando Silva, Nádia Campeão e Wander Geraldo, presidentes municipal e estadual do partido em São Paulo. “Por enquanto, a candidatura de Netinho de Paula está mantida”, disse Geraldo. “Nós não fechamos as portas de negociação política com ninguém, nem com o PT nem com o Chalita.” A prioridade do PCdoB é viabilizar a chapa própria de vereadores. Apesar de ter apenas dois dos 55 parlamentares na Câmara Municipal, a legenda aposta na chapa pura com cerca de 80 candidatos a vereador, sem coligação proporcional com o PT. Um dos cenários prevê a a conquista de cadeiras no Câmara dos Vereadores, com a reeleições de Netinho (que será o puxador de votos) e Jamil Murad e elegendo Orlando Silva.

Continua após a publicidade
Publicidade