Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

SP: protesto termina com 56 detidos e atos de vandalismo

Ato organizado a favor dos professores teve a ação de vândalos que quebraram vidraças de uma concessionária e depredaram um ônibus e quatro veículos

Em São Paulo, 56 pessoas foram detidas durante manifestação marcada por confronto entre a polícia e mascarados na Marginal Pinheiros, na Zona Oeste, na noite desta terça-feira. A concentração do protesto a favor dos professores reuniu cerca de 300 pessoas no Largo da Batata, no fim da tarde, de acordo com a polícia.

Leia também:

PM do Rio terá de aprender a levar desaforo para casa

Em protesto com fraco policiamento, black blocs atacam

O grupo tinha como objetivo atingir o Palácio dos Bandeirantes. Quando a marcha chegou na Avenida Eusébio Matoso, um grupo de black blocs atirou pedras e pedaços de pau contra a vidraça de uma concessionária de motos.

Ao alcançar as vias da marginal Pinheiros no sentido Morumbi, mascarados arremessaram pedras e coquetéis molotov contra os policiais, que responderam com bombas de gás lacrimogêneo. Depois do confronto, dezenas deles tentaram se esconder no estacionamento de uma loja de móveis. Manifestantes procuraram abrigo no estacionamento de uma loja de material de construção. Segundo a PM, três oficiais ficaram feridos.

Depois da ação policial, o protesto se dissipou. Mesmo assim, ainda foram registrados atos de vandalismo próximo à estação Butantã do metrô. Um ônibus foi pichado e teve os vidros quebrados, assim como quatro veículos da Via Quatro, concessionária que administra a linha-4 Amarela do metrô. Vidros da estação de metrô também foram pichados.