Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Neta e avó estão entre as dez vítimas do temporal no Rio

Últimas duas vítimas, ainda não identificadas, foram atingidas por um desabamento de laje, causado por um deslize de terra no Morro da Babilônia, no Leme

O número de mortos por causa da chuva que atinge o Rio de Janeiro desde a noite de segunda-feira 8 subiu para dez. Segundo o Corpo de Bombeiros, duas pessoas morreram em decorrência de um desabamento de uma laje causado por um deslizamento de terra no Morro da Babilônia, no Leme. Elas ainda não foram identificadas.

Mais cedo, três vítimas, Lúcia Xavier Sarmento Leite, sua neta Julia Neves Aché e o motorista do táxi, que não foi identificado, foram encontradas em um carro soterrado na Avenida Carlos Peixoto, uma ladeira que passa atrás do Shopping Rio Sul, na Zona Oeste da cidade. A avó e a neta estavam desaparecidas desde a noite de segunda-feira. Elas pegaram um táxi por volta das 21h30, na saída do shopping.

Além disso, o corpo de um homem que teria morrido afogado no temporal foi resgatado na tarde desta terça no Jardim Maravilha, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. A região está completamente alagada e as pessoas estão se deslocando em barcos. A vítima ainda não foi identificada.

A primeira das sete mortes no temporal foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros no fim da noite de segunda. O motoqueiro Guilherme Fontes, de 30 anos, foi encontrado embaixo de um veículo no bairro da Gávea e afogamento é apontado como causa provável para o óbito. Ele teria caído de sua motocicleta e sido arrastado pela correnteza.

Duas mulheres, que são irmãs, morreram em um desabamento no morro da Babilônia, no Leme. No mesmo incidente, a tia delas foi resgatada com ferimentos. O quarto morto, Leandro Ramos Pereira, levou um choque em sua casa, em Santa Cruz, bairro da zona oeste do Rio.

(Com Estadão Conteúdo e Agência Brasil)