Clique e assine com 88% de desconto

Sobe para sete número de mortos pelas enchentes em MG

Mais uma cidade decretou situação de emergência e já são 53 localidades atingidas gravemente pelas chuvas. Estado mantém alerta até esta quarta-feira

Por Cida Alves - 3 jan 2012, 20h04

A Defesa Civil de Minas Gerais informou, no fim da tarde desta terça-feira, que subiu para sete o número de vítimas das enchentes no estado. Mais um corpo foi encontrado dentro do táxi soterrado em Ouro Preto, na madrugada desta terça-feira. Mais cedo, outra vítima já havia sido achada no veículo. Uma terceira morte ocorreu após uma pessoa ser levada pela correnteza na cidade de Guidoval, na Zona da Mata. As vítimas, do sexo masculino, ainda não foram identificadas.

As equipes de resgate ainda procuram por Rita Vieira de Souza, de 74 anos. Ela está desaparecida desde o dia 30. Rita morava às margens do córrego dos Bambus, em Santo Antonio do Rio Baixo, e foi surpreendida pela súbita elevação das águas, sendo arrastada pela correnteza.

Nas últimas horas, a cidade de Guidoval também declarou situação de alerta, aumentado para 53 os municípios atingidos gravemente pelos temporais, que já duram quase dois meses. Quase 10.000 moradores tiveram que deixar suas casas por causa de alagamentos ou por riscos de desabamento. As áreas mais atingidas são Região Metropolitana de Belo Horizonte, região central, Vale do Mucuri, região do Rio Doce e Zona da Mata.

Durante o período de chuvas entre o final de 2011 e o início deste ano, mais de 2.400 casas ficaram danificadas e 84 foram totalmente destruídas. De acordo com as autoridades, 32 pessoas ficaram feridas e mais de 2 milhões foram afetadas de alguma maneira pelas consequências dos temporais.

Publicidade

A presidente Dilma Rousseff, que está em férias na Bahia, telefonou nesta terça-feira para o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, para oferecer ajuda aos municípios em situação de emergência por causa das enchentes. Dilma afirmou que o governo vai disponibilizar recursos financeiros ao estado e também recursos humanos.

Os ministros da Casa Civil e da Integração Nacional, Gleisi Hoffmann e Fernando Bezerra Coelho, anunciaram a interrupção das férias para acompanhar a situação das chuvas em Minas.

Vítimas – Na segunda-feira, foram identificadas pela Defesa Civil duas vítimas das enchentes. Por volta das 4 horas desta segunda-feira, Maria de Lourdes Rocha, de 78 anos, estava no quintal de sua casa, em Visconde do Rio Branco, na Zona da Mata mineira, tentando recolher um animal de estimação. Houve então o deslizamento de uma encosta, ela foi soterrada e seu corpo foi encontrado por bombeiros e policias militares às 9h15.

Também na madrugada morreu Jailson Aparecido, de 38 anos, vítima do desabamento de um prédio no Bairro Caiçaras, em Belo Horizonte. As outras duas mortes causadas pelos temporais foram registradas no ano passado. Em novembro, uma mulher de 27 anos morreu arrastada pelas águas de um rio em Governador Valadares, e, em outubro, um homem de 43 anos morreu atingido pela queda de uma árvore na cidade de Reduto.

Publicidade

Os temporais que castigam a região metropolitana de Belo Horizonte devem continuar ao longo desta terça. O volume de chuva na Grande Belo Horizonte superou o recorde histórico dos últimos 100 anos. Foram 720 milímetros de precipitação, ultrapassando a marca de 1987 quando foram registrados 684 milímetros.

Publicidade