Clique e assine a partir de 9,90/mês

Serial killer de Goiânia diz que sofreu abuso sexual

Em entrevista exibida pelo 'Jornal Nacional', vigilante Thiago Henrique Gomes da Rocha, de 26 anos, disse que raiva o fez assassinar 41 pessoas

Por Da Redação - 17 out 2014, 21h37

O vigilanteThiago Henrique Gomes da Rocha, de 26 anos, assassino confesso de 41 pessoas em Goiânia (GO), disse que cometeu os crimes por sentir uma raiva muito grande atribuída ao abuso sexual sofrido aos 11 anos. “Motivação era raiva mesmo, tinha que colocar para fora, eu tentei fazer outras coisas”, disse o serial killer em entrevista exibida pelo Jornal Nacional nesta sexta-feira.

O vigilante foi preso pela Polícia Civil de Goiás nesta quinta-feira. De acordo com Secretaria de Segurança Pública, ele confessou ter matado mulheres e também moradores de rua e travestis. Rocha foi preso na casa em que mora, no Conjunto Vera Cruz, na Região Noroeste de Goiânia, e com ele foi apreendido um revólver calibre 38.

Na entrevista, ele disse que foi abusado por um vizinho na infância e que sofreu bullying na escola. “Sofri abusos e bullying na escola, por questão de ser mais caladinho, mas não sei se tem a ver com alguma coisa. Se for uma doença, eu queria saber qual é, se tiver cura, também, se eu posso ser curado ou não”, disse.

Em relação às vítimas, ele disse ter sentido arrependimento ao ver as mortes noticiadas após os crimes e que não tinha um padrão para escolhê-las. “Eu pediria perdão, mas eu acho que é difícil pedir perdão nessa hora.”

Continua após a publicidade

O advogado de defesa do preso, Thiago Húascar, afirmou que o cliente deve ser julgado como portador de doença mental. “Ele é um doente mental e doente tem que ser tratado.”

Segundo a Secretaria de Segurança, o vigilante tornou-se alvo da investigação por adquirir diferentes placas de moto – em todos os assassinatos investigados, o atirador aproximava-se das vítimas neste tipo de veículo.

Leia também:

Já são 18 os crimes em série investigados pela polícia em Goiás

Publicidade