Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Se eleito, Serra diz que criará polo tecnológico em SP

Por Guilherme Waltenberg

São Paulo – O pré-candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo, José Serra, afirmou nesta segunda-feira que, se eleito, vai criar um polo tecnológico na cidade, além de investir no Rodoanel, ampliar os investimentos municipais nas linhas do metrô e instalar sistemas de alerta na cidade sobre situações adversas, como enchentes e problemas nas linhas de trem e metrô. Sobre esse sistema, já utilizado em algumas capitais, o tucano frisou: “Temos tecnologia para isso e não é caro de fazer”.

“Será feita uma cidade tecnológica dentro de São Paulo que deve estar pronta em quatro anos”, disse Serra, respondendo ao questionamento de um dos participantes do debate realizado hoje sobre o desenvolvimento de cidades, na sede do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), na capital paulista, que contou também com a participação da pré-candidata do PCdoB à prefeitura de Porto Alegre, Manuela D’Ávila. Para Serra, isso auxiliaria na produção de conhecimento.

Na área dos transportes, o pré-candidato do PSDB afirmou que o Rodoanel será ampliado “para ter a cidade mais aberta”, no sentido de maior fluidez no escoamento da produção. E garantiu que, se eleito, a prefeitura participará nos investimentos no metrô. “Em quatro anos, a cidade terá a teia de aranha bastante avançada”, afirmou recorrendo à metáfora que usou para descrever os túneis do metrô no subsolo. “Teremos também o monotrilho que leva até Cidade Tiradentes e o do Jabaquara”, disse.

Sub-representação

Para Serra, um dos grandes desafios enfrentados pelas metrópoles brasileiras é a sub-representação exercida por elas nos planos estaduais e federal. O tucano reclama que isso reduz a capacidade de investimento dessas cidades. “(As metrópoles brasileiras) não têm bala própria. Isso é inédito no mundo”, afirmou o tucano, reclamando da pouca participação do governo federal nas obras da cidade de São Paulo. Segundo Serra, a implantação do voto distrital seria uma das maneiras de resolver esses problemas. “Assim se resolveria o problema da sub-representação”, disse.

Municiado de dados que, segundo Serra, foram dados a ele nesta manhã pelo secretário de Finanças do município, Mauro Ricardo Machado Costa, o pré-candidato criticou o baixo volume de dinheiro arrecadado na forma de tributos que volta à cidade de São Paulo. “De cada R$ 10 que são arrecadados em São Paulo, apenas R$ 1 volta para cá”, reclamou.