Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

SC confirma primeira morte por onda de criminalidade

Suspeito tentava incendiar um ônibus estacionado, segundo a polícia

Por Marcela Mattos e Kamila Hage 15 nov 2012, 19h22

O estado de Santa Catarina registrou a primeira morte desde o início da onda de criminalidade na última segunda-feira. Um suspeito de atear fogo em um ônibus, na cidade de Itapema, a 70 km de Florianópolis, foi baleado durante uma troca de tiros com a Polícia Militar enquanto tentava escapar. De acordo com a PM, ele foi levado ao pronto socorro do Hospital Santo Antonio, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 18h30 desta quinta-feira. O governador do estado, Raimundo Colombo, afirmou ao site de VEJA que pedirá ajuda do governo federal se os ataques prosseguirem.

Leia também: ‘Fomos pegos de surpresa’, diz secretário de Segurança de SC

O homem, identificado como Jeferson Belo, invadiu com um comparsa a garagem de ônibus da cidade e tentou incendiar uma composição estacionada e vazia. Funcionários perceberam a movimentação e acionaram a polícia. Os criminosos foram interceptados por uma viatura quando tentavam escapar em uma moto. Houve troca de tiros, mas um dos criminosos conseguiu escapar.

Ataques – Desde segunda-feira, uma onda de criminalidade assola o estado de Santa Catarina. De acordo com informações da Secretaria Pública de Segurança do estado, 17 ônibus foram incendiados na capital catarinense e em outros municípios. Além de Florianópolis, as cidades já chegam a onze. Três instalações da Polícia Militar sofreram atentados e, ao todo, trinta pessoas foram presas. A origem dos crimes ainda não foi esclarecida pela polícia.

Continua após a publicidade
Publicidade