Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ronaldo samba, chora, tumultua e agradece: ‘Foi demais’

Maior artilheiro da história das Copas do Mundo, o ex-jogador foi homenageado pela escola Gaviões da Fiel no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo

Por Da Redação - 2 Mar 2014, 03h27

Homenageado pela Gaviões da Fiel com o enredo “R9: o Voo Real do Fenômeno”, Ronaldo foi o homem a ser seguido no sábado de Carnaval em São Paulo. O ex-jogador causou tumulto por onde passou no Sambódromo do Anhembi. Com gritos como “Gorducho” e “Fenômeno”, a multidão o aplaudiu desde o início do desfile da escola de samba. Muitos fãs registraram a presença do ídolo em fotos, mas pouca gente conseguiu chegar perto do maior artilheiro da história das Copas, cujos passos eram seguidos de perto pelos seguranças.

Leia também:

Anhembi: em noite de chuva, escolas apostam na nostalgia

Manual do folião: encontre seu bloco de rua ideal no Rio

Continua após a publicidade

De cima do carro alegórico que fechou o desfile da Gaviões, Ronaldo chorou e respondeu ao carinho do público com acenos, sempre junto à família – o ex-jogador levou o filho Ronald, a mãe Sônia, o pai Nélio e a namorada Paula Morais para sambar ao seu lado. Após a apresentação, precisou ser levado por uma empilhadeira do carro alegórico até o estúdio móvel da Globo no sambódromo. “Foi demais, estou rouco de tanto cantar e o mais bacana é ver a reação da galera. É demais. Nunca senti essa emoção. Só tenho agradecer ao público da avenida e de casa”, disse o ex-jogador em entrevista à TV. “Estou muito emocionado por desfilar com a minha família do lado.”

Ronald também ficou emocionado.”Acho que meu pai vai chorar até o final da manhã. Nunca o vi tão feliz assim”, disse ao sair do carro alegórico. “Animal, adrenalina pura. O público foi demais com a gente”, completou o filho do craque, prestes a completar 14 anos.

Galeira de fotos: Sabrina, Ellen Rocche e as musas do Carnaval de SP

A saída de Ronaldo, no entanto, ocorreu em meio à dispersão da Mocidade Alegre, que ainda realizava seu desfile. Com a quantidade de pessoas da escola somada à aglomeração de fãs do ex-jogador, os veículos que o levariam a um camarote não conseguiram sair por cerca de dez minutos.

Continua após a publicidade

Com Ronaldo dentro de um dos carros, houve uma pequena confusão até que ele conseguiu deixar a avenida. Na entrada do setor de camarotes, novo tumulto. Mesmo sem falar com a imprensa, o “Fenômeno” atraiu todas as atenções, mas dessa vez não comentou o desfile e preferiu seguir direto para uma área reservada.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade