Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Rio terá centro mundial de tecnologia limpa

Por Da Redação
21 Maio 2012, 18h29

Por Felipe Werneck

Rio de Janeiro – Enquanto seguem indefinidas as negociações entre países para a Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, foi anunciada nesta segunda-feira uma parceria do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e o governo do Estado. A iniciativa vai resultar na criação do Instituto de Tecnologia Verde em instalações da Coppe/UFRJ, na Ilha do Fundão, zona norte do Rio.

O ex-ministro do Meio Ambiente e secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, disse que o novo centro global de pesquisa será anunciado pela presidente Dilma Rousseff na Semana do Meio Ambiente, no início de junho. Segundo ele, o foco será em energias renováveis e tecnologias de baixo carbono. “Será uma parceria ou convênio do Pnuma com a Coppe e o Estado do Rio”, explicou a subsecretária de Economia Verde, Suzana Kahn. O novo órgão vai abrigar pesquisadores brasileiros e estrangeiros.

O diretor da Coppe, Luiz Pinguelli Rosa, é o secretário executivo do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas. “O novo grande centro mundial de tecnologia limpa, de baixo carbono e economia verde será criado no Rio. Quando esteve aqui o (Achim) Steiner, chefe do Pnuma, isso foi discutido com a presidente Dilma”, disse Minc durante evento no Palácio da Cidade para divulgar o Rio Clima, iniciativa que será realizada de 13 a 21 de junho, durante a Rio+20.

Continua após a publicidade

A criação do Instituto de Tecnologia Verde, ou Green Tec, ocorre paralelamente à discussão de uma mudança da governança para o desenvolvimento sustentável no âmbito da ONU. Uma das propostas é a criação de um conselho ou centro de desenvolvimento sustentável, além do fortalecimento do Pnuma, que hoje depende de contribuições voluntárias dos países. A proposta europeia de transformação do Pnuma em uma agência global de meio ambiente, com a força de uma Organização Mundial do Comércio (OMC), não é apoiada pelo governo brasileiro nas negociações. “Eu apoio, mas a posição do governo ainda não é essa”, disse Minc.

O ex-ministro disse que o governo federal vai aproveitar o Dia Mundial do Meio Ambiente para anunciar a criação de unidades de conservação no País (uma das críticas de ambientalistas à gestão Dilma é justamente a falta de novas áreas), além da adoção de um mecanismo de compras e construções sustentáveis na esfera federal. O Estado do Rio também prepara um decreto em relação à questão da sustentabilidade em licitações. Minc afirmou ainda que o governo federal deverá anunciar no dia 5 acordos setoriais para o cumprimento da meta voluntária assumida pelo País de redução das emissões de gases de efeito estufa até 2020.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.