Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Rio: assassino de delegada é encontrado morto na cadeia

Alessandro Oliveira Furtado tinha cortes no pescoço. Ele estava preso desde outubro após asfixiar a mulher, Tatiene Damaris, com um travesseiro

Por Da Redação 8 jun 2015, 15h07

O preso Alessandro Oliveira Furtado, assassino confesso da própria mulher, a delegada Tatiene Damaris, foi encontrado morto na manhã desta segunda-feira no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ele estava sozinho dentro de sua cela na Penitenciária Bandeira Stampa, onde vivia sob custódia desde outubro do ano passado.

Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), o presidiário tinha cortes no pescoço. A Seap abrirá uma sindicância interna para investigar o caso, que será encaminhado para a delegacia de Bangu. Furtado tinha 40 anos e estudava Direito antes de ser preso.

Crime – Tatiene Damaris Sobrinho Damasceno Furtado era delegada e foi morta por Alessandro, seu marido na época, aos 39 anos. Ela atuava como substituta na delegacia de Santa Cruz, também na Zona Oeste. Tatiene tinha dois filhos, um de 15 anos e um de 2 anos. Ela foi asfixiada com um travesseiro pelo marido, que tinha interesse em receber o seguro de vida dela em seu nome. O corpo dela foi achado no chão da cozinha da casa onde o casal morava – e logo Alessandro Furtado confessou o crime.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade