Clique e assine com 88% de desconto

Revezamento da tocha paralímpica tem protestos contra Temer em SP

Pequeno grupo levou faixas e gritou 'Fora Temer' durante o desfile na Avenida Paulista – ainda neste domingo, haverá um protesto organizado no mesmo local

Por da redação - 4 set 2016, 15h13

O revezamento da tocha paralímpica do Rio-2016 chegou neste domingo a São Paulo e foi marcado por protestos contra o presidente Michel Temer. Depois de passar pelo Centro de Treinamento Paralímpico, Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, a tocha chegou à Avenida Paulista, onde foram registradas as primeiras manifestações.

O primeiro da tocha foi foi Rafael Silva, o Baby, judoca medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos realizados nos mês passado. Na altura da Rua Augusta, um pequeno grupo com cartazes de papelão gritou “Fora, Temer!” e foi aplaudido pela maioria das pessoas. Uma mulher, com um cartaz com as mesmas palavras, seguiu em silêncio os condutores por boa parte da avenida.

Leia também:
Na China, Temer minimiza protestos 

Temer vê ‘sinais de retomada’ e planeja ajuste fiscal e reformas
Temer compra sapatos e cachorro-robô na China

O comboio da tocha foi cercado por ciclistas. Outras pessoas, mais à frente dos carros, festejavam com os condutores que já haviam levado a chama. Além dos oficiais da Forca Nacional, um forte esquema de escolta da Polícia Militar com bicicletas e motos e até um helicóptero também acompanhou o cortejo.

A passagem da tocha paralímpica quase ficou comprometida devido a protestos contra Michel Temer, marcados para o mesmo horário do revezamento. No entanto, nesta sexta-feira, após negociação mediada pela prefeitura, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado e os movimentos Povo Sem Medo e Brasil Popular entraram em acordo para o protesto acontecer após as 16h30, em frente ao Masp, depois do evento dos Jogos Paralímpicos.

Publicidade

Depois da Avenida Paulista, o revezamento para na Estação Ana Rosa do Metrô, já na Avenida Domingos de Morais, na Vila Mariana. Depois, segue pelas instituições Dorina Nowill para Cegos, Apae São Paulo e AACD. O rodízio termina no Museu Afro, no Parque do Ibirapuera, às 18 horas. Michel Temer está na China, onde participa das reuniões do G20.

(com Estadão Conteúdo)

Publicidade