Clique e assine a partir de 9,90/mês

Retomada de cidades importantes ocorre em meio a ascensão da pandemia

No RJ, a abertura do comércio foi permitida de última hora na noite de ontem. No ABC Paulista, a liberação de setores econômicos se deu sem o aval de Dória

Por Da Redação - Atualizado em 6 jun 2020, 13h07 - Publicado em 6 jun 2020, 12h31

No mês de junho, várias das grandes cidades brasileiras ampliaram a reabertura das atividades em meio à pandemia do coronavírus. No Rio de Janeiro, foi por meio de um decreto assinado no fim da noite de sexta-feira, 5, que o governado Wilson Witzel reforçou o fim das condições de isolamento social no estado. O texto libera a reabertura parcial de bares, restaurantes e shoppings centers, e a volta do futebol e outros esportes de alto rendimento, desde que sem público. Com isso, a taxa de isolamento social do estado que na quarta-feira, 4, estava em 41%, chegou em 37% neste final de semana, segundo dados de monitoramento da InLoco.

“Com as medidas restritivas que estabelecemos em 16 de março, e que começam a diminuir a partir deste sábado por decreto, salvamos mais de 46 000 vidas. Vamos seguir no enfrentamento ao Covid-19. E deixaremos hospitais de alta complexidade como legado para os próximos 5 anos”, publicou o governador no Facebook, ao anunciar o relaxamento das restrições. No entanto, as novas medidas que foram anunciada, segundo o estado com base em análise de dados sobre a pandemia, ocorreu no dia em que o RJ chegou a 6 473 mortes por Covid-19 e 63 066 casos confirmados. Ministério da Saúde atualizou na noite desta sexta-feira, 5, o número de casos e mortes por Covid-19. De acordo com o levantamento das secretarias regionais, foram registrados nas últimas 24 horas 30.830 casos e 1.005 mortes em decorrência do novo coronavírus.  

E, ainda que a prefeitura da capital carioca não tenha divulgado se deve seguir os termos adotados pelo governo do estado, o transporte intermunicipal de passageiros no Rio de Janeiro foi retomado neste sábado, 6. Com exceção das cidades de Barra Mansa, Pinheiral e Volta Redonda, ônibus intermunicipais, ônibus fretados e vans de conexões poderão operar desde que não façam transporte de passageiros em pé, de maneira a evitar superlotação do transporte público. Metrôs, trens, barcas e ônibus que vão até o interior do estado devem operar com apenas 50% dos acentos ocupados.

No estado de São Paulo, as sete cidades que compõem a região do ABC Paulista adotaram por conta própria as mesmas medidas para reabertura das atividades econômicas que a capital. A justifica é devido proximidade, que segundo os prefeitos, torna difícil adotar medidas distintas entre as regiões. Assim, voltam neste sábado o funcionamento de escritórios, concessionárias e revendedoras de veículos.

Continua após a publicidade

“A região decidiu seguir a capital, por isso pedimos a colaboração dos empresários no cumprimento das normas sanitárias rígidas contra a Covid-19, para que não tenhamos que retroceder. Além disso, reforçamos que a população deve permanecer em casa, saindo só quando realmente necessário e com uso de máscaras”, afirmou o presidente do Consórcio ABC e prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão, em nota.

Contudo, o governo do estado de São Paulo João Dória informou na noite de ontem que deverá discutir de forma mais assertiva a reclassificação dos sete municípios da região metropolitana, atendendo o pedido de liberação das cidades. No final de maio, os prefeitos das sete cidades encaminharam ao Governo de São Paulo um pedido para a flexibilização do isolamento. Como não obtiveram resposta positiva, decidiram a retoma por meio de uma assembleia.

Publicidade