Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Rejeição de denúncia contra Temer na CCJ nas manchetes do dia

Votação no plenário está marcada para a próxima quarta-feira

Por Da redação 19 out 2017, 07h41

A rejeição da segunda denúncia oferecida pelo ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot contra o presidente Michel Temer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) está nas manchetes dos principais jornais do país nesta quinta-feira. O governo esperava 42 votos, mas conseguiu 39. Houve 26 votos contrários. Plenário dará palavra final.

Folha de S.Paulo
Comissão da Câmara rejeita a 2a. denúncia contra Temer
Janot acusou Temer, no âmbito da Lava Jato, de obstruir a Justiça e de comandar organização criminosa. Na análise da primeira denúncia, por corrupção, o peemedebista teve dois votos a mais. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), marcou para a próxima quarta-feira (25) a votação no plenário da Casa. Com o objetivo de conter ameaças de rebelião antes do desfecho, Temer liberará dezenas de cargos para deputados de partidos do centrão, como PP, PR e PTB.

O Globo
Câmara deve absolver Temer por ampla maioria
A CCJ aprovou relatório do deputado Bonifácio de Andrada que rejeita a denúncia contra Temer e os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco. Deputados aliados e da oposição acreditam que Temer terá folgada maioria na votação em plenário. A oposição precisa de 342 votos para que a denúncia seja aceita. O presidente disse, pelo celular, não estar preocupado com a votação.

Em hospital público do Rio, falta até álcool
Além da superlotação, pacientes da rede municipal de saúde do Rio enfrentam falta de insumos e medicamentos nos 329 centros de atendimento e clínicas da família. Dos 175 itens da lista básica, entre analgésicos, antitérmicos e anti-inflamatórios, 118 estão em falta. Há unidades até sem álcool

O Estado de S.Paulo
Temer vence na CCJ e Maia marca votação de denúncia no dia 25
O governo esperava ontem conseguir o apoio de 42 deputados, mas o PSB trocou seus membros na comissão, o que resultou em quatro votos contrários ao presidente. O presidente e os ministros são acusados pela Procuradoria-Geral da República de terem recebido R$ 587 milhões de propina. A denúncia tem como base as delações de Joesley Batista e Lúcio Funaro.

Valor Econômico
Fiscais e procuradores vão ignorar mudanças na CLT
Depois dos juízes, fiscais do trabalho e procuradores do Ministério Público do Trabalho declararam que não devem aplicar os principais pontos da reforma com o argumento de que há violação a princípios constitucionais, a outras leis trabalhistas e normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Jornal do Commercio
Falta energia. Sobram problemas
Defeito em subestação da Chesf no Bongi deixou boa parte dos consumidores da RMR sem luz, ontem pela manhã. É a quarta vez em cinco anos que terminal deixa a população na mão.

Continua após a publicidade
Publicidade