Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Recuo de Michel Temer no STF nas manchetes de 23/05/17

Ao avaliar que corria risco de ser derrotado, presidente desiste do pedido de suspensão do inquérito no Supremo

A decisão do presidente Michel Temer de desistir do pedido de suspensão do inquérito contra ele no Supremo Tribunal Federal (STF) está nas manchetes dos principais jornais nesta terça-feira. De acordo com O Estado de S.Paulo, avaliação é de que ele corria risco de ser derrotado na Corte. Estratégia da defesa é desqualificar o áudio da conversa de Temer com Joesley Batista, dono da JBS.

O Globo
Temer desiste de suspender inquérito e ataca gravação
Depois de apostar tudo no julgamento que o Supremo faria na quarta-feira, o presidente desistiu do pedido de suspensão do inquérito aberto contra ele. Para evitar uma debandada de aliados a partir de quarta, caso o STF mantivesse o inquérito, Temer reforçou a estratégia de tentar desqualificar o áudio de sua conversa com Joesley Batista, gravada pelo dono da JBS. 

O Estado de S.Paulo
Temer recua em pedido de suspensão de inquérito
O novo posicionamento dispensa necessidade de julgamento no plenário da Corte. Horas antes, a ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo, havia informado que o pedido de Temer, protocolado no sábado, só seria julgado depois da conclusão da análise dos áudios pela Polícia Federal. A avaliação do Palácio do Planalto era de que o presidente corria sério risco de ser derrotado no STF. 

Folha de S.Paulo
Áudio é imprestável, diz perito de Temer; defesa retira recurso
O perito Ricardo Molina afirmou em laudo que o áudio é uma “prova imprestável”. Disse ainda, em entrevista coletiva, que a Procuradoria-Geral da República é “ingênua” e “incompetente” ao utilizar a conversa em pedido de investigação contra o peemedebista. Para Molina, o áudio está contaminado por inúmeras descontinuidades, com diversos pontos inaudíveis e de “possível edição”. 

Supremo pode decidir sobre possibilidade de eleição direta
O STF pode decidir nos próximos dias a possibilidade de realização de eleições diretas em caso de vacância do cargo depois de transcorridos dois anos de mandato. O ministro Luís Roberto Barroso liberou para a pauta do plenário do Supremo ação que precipitaria discussão sobre o tema. Cabe à presidente da corte, ministra Cármen Lúcia, colocá-la na pauta. Não há prazo para que isso ocorra.

Valor Econômico
Caso JBS ficará fora do julgamento do TSE
As informações contidas na delação da JBS não serão consideradas nos autos do julgamento da chapa Dilma-Temer, marcado para o dia 6 de junho pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Correio Braziliense
Temer ganha fôlego e testa apoio da base
O presidente ganhou tempo para tentar reorganizar a base e se manter no cargo. Hoje, o governo tenta retomar a apreciação da reforma trabalhista no Senado e a votação, na Câmara, de medidas provisórias. A da Previdência segue em compasso de espera. No mercado, foi mais um dia de instabilidade, com queda da bolsa e alta do dólar.