Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Raio mata 4 pessoas e deixa 4 feridos em Praia Grande

Na madrugada, 3.000 raios atingiram a capital paulista, que registrou 200 árvores derrubadas, semáforos desligados e bloqueio de linha de trem

(Atualizada às 19h40)

Ao menos quatro banhistas, entre eles uma mulher grávida, morreram na tarde desta segunda-feira após a queda de um raio na praia do Canto do Forte, em Praia Grande, no litoral sul de São Paulo. Segundo a prefeitura do município, outras quatro pessoas atingidas pela descarga elétrica ficaram feridas – um deles, vendedor ambulante na cidade, em estado grave.

A prefeitura de Praia Grande informou que três turistas (uma mãe e duas filhas) não correm risco de vida, mas ficaram internadas em observação até o início desta noite, quando começaram a receber alta. Elas tiveram apenas ferimentos no rosto e passaram por avaliações médicas.

O raio atingiu os banhistas na faixa de areia da praia, próximo ao Quiosque 15, entre as ruas Rui Barbosa e Maurício José Cardoso. Os banhistas foram socorridos ainda na areia por guarda-vidas do Grupamento Marítimo dos Bombeiros. Cinco ambulâncias do SAMU e duas dos Bombeiros levaram os feridos ao Hospital Municipal Irmã Dulce e ao Pronto-Socorro Central, ambos no bairro do Boqueirão.

Apenas um dos socorridos que sobreviveram ainda está internado no Pronto-Socorro Central, que também faz parte do complexo hospitalar Irmã Dulce. A coordenadoria de comunicação do hospital disse que não detalharia o estado de saúde e a identidade das vítimas.

Como se proteger dos raios

EVITE:

Durante tempestades, a primeira atitude é sair de locais descampados como campos de futebol, praias, quadras ou estacionamentos. Isolada, a pessoa se torna o ponto mais alto, alvo preferencial dos raios. Por isso, também é indicado se afastar de árvores, postes, quiosques, veículos descobertos, linhas telefônicas ou de energia elétrica e não subir em topos de prédios ou morros.

PROCURE:

O melhor é se abrigar dentro de carros fechados (sem encostar na lataria), abrigos subterrâneos como metrôs e túneis, casas ou prédios (preferencialmente com proteção contra raios). Em casa, não é indicado usar telefone com fio ou celular ligado na rede elétrica ou ficar próximo de tomadas, canos, janelas e portas metálicas. Se estiver em local sem abrigo próximo e sentir que seus pelos estão arrepiados ou a pele começou a coçar, um raio pode estar próximo. Nesse caso, o melhor é ficar agachado, com as mãos nos joelhos e a cabeça entre eles.

Fontes: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe)/ Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat), Corpo de Bombeiros da PMESP

Em nota, a assessoria de imprensa da prefeitura informou que os mortos são o coronel aposentado da Polícia Militar Zenildo Tadeu Vieira, com idade provável de 69 anos, e sua esposa, Andrea Boaretto, com idade provável de 41 anos, além da sobrinha do casal Katia Boaretto, gestante de cinco meses, e de seu marido, Luciano, cujo sobrenome e idade não foram divulgados.

Na última terça-feira, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil iniciou uma campanha de alertas sobre a incidência de raios nas praias de São Paulo. Segundo o órgão, raios, trovoadas e rajadas de vento costumam atingir o litoral paulista à tarde durante os três meses do verão. Duzentas faixas com a frase “Chuva, raio e trovoada… Se o tempo fechar, fuja da praia e do mar!” foram produzidas para distribuição, em parceria com as prefeituras, nas praias da Baixada Santista, Vale do Ribeira e Litoral Norte do Estado. A prefeitura disse que há faixas próximas ao local onde o raio atingiu os banhistas.

O Corpo dos Bombeiros disse que, em média, cem pessoas morrem no Brasil atingidas direta ou indiretamente por raios todos os anos.

As regiões metropolitanas de São Paulo e da Baixada Santista foram atingidas por descargas elétricas e rajadas de vento desde a madrugada desta segunda-feira.

​Raios – Responsável pela distribuição de energia em 24 municípios da região metropolitana de São Paulo, a AES Eletropaulo informou que mais de 3.000 raios atingiram sua área de concessão na capital e no ABC e que mobilizou 2.000 eletricistas para o restabelecimento da rede.

Os trabalhos da Eletropaulo contam com o apoio da Defesa Civil e dos Bombeiros. Segundo a prefeitura de São Paulo, 198 árvores foram derrubadas pelas rajadas de vento e descarga elétrica. As regiões mais afetadas, segundo a Eletropaulo, foram as Zonas Sul e Norte da capital. A companhia não informou, contudo, quantos e quais bairros ainda enfrentam problemas de abastecimento de energia na tarde desta segunda.

De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), na capital paulista, o índice médio de chuva na cidade foi de 4,3 mm. Os maiores índices pluviométricos registrados pelas estações automáticas do CGE se deram nos bairros do Ipiranga, com 29,3 mm, Vila Prudente, com 26 mm e Vila Mariana, com 25 mm.

O Parque Ibirapuera, uma das áreas afetadas pela chuva e pelos fortes ventos que atingiram a região metropolitana de São Paulo, amanheceu fechado e só foi parcialmente liberado para visitação por volta das 15h40 – mais de 20 árvores caíram dentro do parque e algumas estruturas foram danificadas pelos raios.

A prefeitura informou que, por volta das 10 horas desta segunda-feira, 139 semáforos apresentavam problemas, dos quais 86 estavam em manutenção e 53 desligados por falta de energia elétrica. O trânsito, entretanto, não registra congestionamentos acima da média por causa da saída do paulistano para o feriado.

(Com Estadão Conteúdo)