Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Quem segura esta mulher?

A menos de cinco semanas da eleição, PT e PSDB empurram um para o outro a responsabilidade pela arriscada operação de atacar Marina, que segue em disparada com seu discurso inatacável: a favor de tudo o que é bom e contra tudo o que é ruim

A sátira circula freneticamente nas redes sociais: “Marina, você vai querer carne, frango, peixe, massa ou ­salada?”. Responde a candidata do PSB à Presidência da República: “Eu acho que a gente tem de parar com os rótulos. Ninguém é dono da verdade. Todos os pratos têm coisas boas e ruins. Eu quero o que tem de bom em cada um deles e quero tirar o que tem de ruim. Essa coisa de achar que tem de escolher um prato é a velha refeição. Vamos comer tudo, desde que preparado com eficiência e visão estratégica. Isso é a nova refeição”. A sabedoria coletiva da rede digital acertou em cheio na mais evidente fragilidade da candidata que disparou na frente de Dilma Rousseff e Aécio Neves, deixando meio mundo perplexo. A crítica espirituosa na internet brinca, para ficarmos na metáfora gastronômica, com a evidente impossibilidade prática de fazer omelete sem quebrar ovos – o que em Brasília equivale a governar sem contrariar interesses.

Para ler a continuação dessa reportagem compre a edição desta semana de VEJA no IBA, no tablet, no iPhone ou nas bancas.

Outros destaques de VEJA desta semana