Clique e assine com 88% de desconto

Queda de energia fecha o metrô por duas horas na abertura da Jornada

Transporte é o principal meio de se chegar para a cerimônia em Copacabana

Por Carolina Farina e Pollyane Lima e Silva - 23 jul 2013, 17h33

(Atualizado às 18h40)

No dia da abertura oficial da Jornada Mundial da Juventude, em que cerca de 500.000 pessoas são esperadas na praia de Copacabana, o metrô do Rio de Janeiro deixou os usuários na mão por mais de duas horas. Uma falta de energia nos trilhos obrigou o fechamento total das linhas 1 (Saens Peña-Cantagalo) e 2 (Pavuna-Botafogo) a partir das 16h30 – exatamente quando crescia a movimentação de fiéis a caminho da festa na Zona Sul.

Infográfico: A agenda do Papa na Jornada Mundial da Juventude

Às 18h40, o MetrôRio informou, por meio de seu perfil no Twitter, que o sistema estava normalizado. “Todas as estações estão sendo reabertas. Intervalos em processo de regularização”, informou. A assessoria de imprensa da concessionária diz que a causa ainda está sendo investigada. Por quase uma hora, o trecho entre os bairros Glória e Copacabana continuou em funcionamento, mas todas as operações acabaram sendo suspensas.

Publicidade

Radar on-line: Na conta de Francisco

Mapa do metrô do Rio
Mapa do metrô do Rio VEJA

O problema foi ainda mais grave devido ao esquema especial de trânsito montado para a chegada dos peregrinos à orla – que prioriza exatamente o uso do metrô. Desde as 16h é considerado feriado na capital, e o trânsito foi bloqueado na Avenida Atlântica. A folga ajudou, porém, a evitar um nó no transporte da cidade em pleno horário de pico.

Fé e coragem: peregrinos ficam hospedados em favela dominada por traficantes

Programação – A missa de abertura do evento será celebrada pelo arcebispo do Rio, dom Orani Tempesta, a partir das 19h30. Mas desde o início da tarde, o palco principal na altura do Posto 2 recebe shows musicais. Dois apresentadores recepcionam o público em português e inglês e as mensagens são traduzidas também em Libras.

Publicidade

Pela orla, a movimentação é intensa de peregrinos chegando a pé. Calçadão, areia e toda a avenida ficaram totalmente tomados pelos fiéis, que tremulam bandeiras do mundo todo. A segurança está reforçada por policiais militares e pelo Exército.

Peregrinos cantam e dançam até nas filas de espera

Por volta das 18h30, os peregrinos ovacionaram a chegada dos símbolos da JMJ, a Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora. Todos rezaram juntos o Terço Missionário, no qual cada um dos cinco mistérios foi dedicado a um continente, comandado por peregrinos da China, África do Sul, Argentina, Suíça e Austrália.

Papa – Em um dia sem compromissos na agenda oficial, o papa ficou recluso na residência oficial da Igreja, no Sumaré, Zona Norte da cidade. O contato com os fiéis ficou restrito ao Twitter. No início da manhã, o pontífice agradeceu a “magnífica acolhida em terra carioca”. À tarde, dirigiu outros dois recados aos jovens: “Cristo tem confiança em vocês e lhes confia sua própria missão: ‘Ide, fazei discípulos'”, escreveu em um deles.

Publicidade

banner JMJ Rio 2013
banner JMJ Rio 2013 VEJA

Publicidade