Clique e assine a partir de 9,90/mês

PSOL já recebeu 11 mil denúncias de ‘fake news’ sobre Marielle

A sigla acionou o departamento jurídico para identificar as pessoas responsáveis por difamar a vereadora

Por Estadão Conteúdo - Atualizado em 19 mar 2018, 15h01 - Publicado em 19 mar 2018, 12h08

O departamento jurídico do PSOL e parentes da vereadora Marielle Franco, assassinada na semana passada, receberam até domingo 11 mil denúncias de postagens com informações falsas e difamatórias da parlamentar publicadas nas redes sociais. O partido iniciou, no sábado, uma mobilização para coletar provas e denunciar pessoas que compartilhem fake news sobre Marielle.

No Facebook, no Twitter e em áudios do WhatsApp, internautas têm divulgado informações de que a vereadora teria ligação com o tráfico e que sua morte estaria relacionada a um “acerto de contas”. Em um áudio, um homem não identificado afirma que ela só foi eleita por ter apoio de criminosos.

A tese foi reproduzida pela desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro Marília Neves em sua página no Facebook. “Foi eleita pelo Comando Vermelho [facção] e descumpriu ‘compromissos’ assumidos com seus apoiadores”, escreveu. O PSOL vai entrar com representação no Conselho Nacional de Justiça contra ela.

O deputado Alberto Fraga (DEM-DF) também reproduziu fake news nas redes sociais. Ele escreveu no Twitter que, além de ser ligada ao Comando Vermelho, a vereadora era usuária de drogas e ex-mulher de um traficante. A reportagem tentou contato com a juíza e com o deputado, mas não obteve resposta. Ambos apagaram as publicações.

Continua após a publicidade

O PSOL quer identificar os autores das difamações para denunciar à polícia. Por isso, pede que cópias das postagens sejam encaminhadas ao departamento jurídico da sigla, junto ao link do perfil de quem propagou as notícias falsas ou o telefone para contato. De acordo com a assessoria de imprensa do partido, ainda não foi feita uma triagem das denúncias que chegaram.

 

Protestos

Milhares de pessoas participaram de ato em homenagem a Marielle Franco no domingo, no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio, onde nasceu a vereadora do PSOL. Além de moradores e parentes da parlamentar, compareceram o deputado estadual Marcelo Freixo e o deputado federal Chico Alencar, ambos do PSOL, e políticos de outros partidos.

Continua após a publicidade

Atores como Débora Bloch, Camila Pitanga e Marcelo Adnet também marcaram presença. Nos protestos, mulheres da comunidade discursaram e pediram justiça para Marielle. Em São Paulo, também houve uma marcha, que começou silenciosa, na Avenida Paulista. No ato, mulheres usaram vassouras manchadas de vermelho para lavar uma escadaria e simular sangue.

Publicidade