Clique e assine com até 92% de desconto

Protetora de animais morre ao salvar cães em incêndio, em SP

Fernanda Pereira Fernandes era aposentada por invalidez e mantinha em sua casa um abrigo temporário para cães

Por Da Redação Atualizado em 24 nov 2017, 16h49 - Publicado em 24 nov 2017, 12h38

A protetora de animais Fernanda Pereira Fernandes, de 44 anos, morreu queimada ao tentar salvar um cachorro de sua casa em chamas, na cidade de São Paulo. O incêndio aconteceu na manhã desta última quarta-feira (22) e, segundo os vizinhos da região, ele teria começado por volta das 7h30 da manhã. Ela cuidava de pelo menos 10 animais e conseguiu salvar 9 deles das chamas.

Fernanda era aposentada por invalidez e vivia em uma casa pré-fabricada de madeira em cima da casa de seu Irmão. A vítima, que mantinha em sua casa um abrigo temporário para cães, estava voltando da padaria quando viu seu imóvel em chamas e correu para salvar os animais. Ela tinha vários cachorros sobre seu cuidado e recebia pagamentos de outros pessoas para cuidar deles enquanto não fossem adotados.

  • Os bombeiros foram acionados, mas o teto da casa desabou antes que Fernanda pudesse sair. Ela e uma cadela morreram no local. Outra cadela, que sofreu queimaduras, foi enviada para um hospital veterinário. A vira-lata Pituca chegou na UTI (Unidade de Terapia) da clínica veterinária Animaniacs, mas não sobreviveu.

    Em nota nas redes sociais, o estabelecimento informou que, depois de tomar conhecimento da história da cadela e de Fernanda, decidiu não cobrar os 2900 reais do tratamento.” Após verificarmos que a história desse animal era verídica, a administração do hospital junto com sua equipe veterinária está isentando qualquer custos gerados pelo procedimento.” Diz o texto.

    Fernanda morava sozinha em cima do imóvel de seu irmão, que só chegou no local após o incêndio. Segundo a polícia, ela se aposentou por invalidez após sofrer um AVC, que a deixou como sequela uma paralisia em uma das suas mãos. O caso foi registrado como morte acidental na 64°DP e as causas do incêndio ainda estão sendo investigadas.

    Continua após a publicidade
    Publicidade