Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Protestos reúnem mais de um milhão de pessoas

Mesmo após a redução das tarifas de transporte público em doze capitais, manifestantes voltaram às ruas e pelo menos 77 pessoas ficaram feridas

Por Da Redação 21 jun 2013, 09h22

Mesmo após a redução das tarifas de transporte público em doze capitais – e em metade das cidades da Região Metropolitana de São Paulo -, novas manifestações levaram mais de 1 milhão de pessoas às ruas de 100 cidades do país nesta quinta-feira. E a violência voltou ser destaque: pela primeira vez desde o início das manifestações, há quinze dias, uma morte foi registrada, quando um motorista avançou sobre um manifestante em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Pelo menos outras 77 pessoas ficaram feridas em todo o país.

Uma das cenas mais chocantes foi a tentativa de invasão do Palácio do Itamaraty, em Brasília. A polícia tentou conter os invasores com gás, mas o prédio teve janelas quebradas e princípio de incêndio na área externa.

Após duas semanas de protestos, foi o ataque mais violento a um centro de poder. Antes, o Congresso Nacional, a Assembleia Legislativa do Rio, o Palácio dos Bandeirantes e o Edifício Matarazzo (sede da Prefeitura de São Paulo) haviam sido alvo de protestos.

Nesta quinta-feira, com novas bandeiras para o movimento sendo discutidas no Twitter e no Facebook e em meio às mais variadas reivindicações sociais e políticas, um novo grito destacou-se: “sem partidos”. Integrantes dessas agremiações foram proibidos de erguer bandeiras por todo o país e o PT viu fracassar a convocação de sua “onda vermelha”.

Continua após a publicidade

Leia também:

Três questões cruciais sobre as passeatas desta quinta

Rebeldes sem causa? Não. Rebeldes sem ‘pai’

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade