Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Protestos de taxistas contra Uber têm confusão em frente à Câmara de SP

Rojões foram lançados contra o prédio e uma funcionária ficou levemente ferida

A sessão na Câmara Municipal de São Paulo dedicada a votar o projeto de lei que regulariza o uso de aplicativos para transporte individual de passageiros, como o Uber, nesta quarta-feira, é marcada por uma confusão provocada por taxistas que protestam em frente ao local. Segundo a Polícia Militar, 3.000 taxistas estão reunidos diante do prédio. Membros do grupo lançaram rojões contra a sede do Legislativo municipal. Uma funcionária ficou ferida. De acordo com a Câmara, ela estava no sexto andar e sofreu uma leve queimadura no braço, mas não precisou ir à enfermaria.

Os motoristas fecharam as duas pistas do Viaduto Jacareí, em frente à Câmara Municipal, onde pode ocorrer a votação da proposta ainda nesta quarta. Por causa da manifestação, há congestionamentos em toda a região, especialmente no trecho entre as Praças da República e da Sé.

Desenvolvida pelo vereador José Police Neto (PSD), em parceria com a gestão Fernando Haddad (PT) – que apoia a regularização -, a proposta prevê que empresas como a Uber e a Will Go sejam obrigadas a comprar créditos da Prefeitura para poder rodar pela cidade. Segundo o município, o modelo proporcionará um melhor controle do viário urbano, já que o valor dos créditos vai variar de acordo com o horário e o percurso da viagem, além da quantidade de passageiros no carro. Se a corrida for feita em horário de pico e no centro expandido, por exemplo, o preço ficará mais caro. Já se for na periferia, sairá mais em conta.

(Com Estadão Conteúdo)

LEIA TAMBÉM:

Em dia de votação, taxistas protestam contra Uber em frente à Câmara Municipal de São Paulo