Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Protesto de motoristas de vans interdita avenidas na Zona Oeste

Manifestantes queimam pneus e montam seis barricadas. Polícia afirma que milicianos, que controlam o transporte alternativo, comandam as ações criminosas

Com a promessa de mais protestos esta semana, devido ao impasse nas negociações entre a prefeitura do Rio e os professores em greve, o Rio de Janeiro começou a segunda-feira com uma parte da Zona Oeste congestionada devido a uma manifestação de motoristas de vans. Os manifestantes conseguiram interditar a Avenida Ayrton Senna e a Estrada de Jacarepaguá, com reflexos no trânsito das principais vias da região da Barra da Tijuca e de Jacarepaguá.

Os motoristas reclamam das restrições à circulação de vans nas vias expressas e avenidas da Zona Oeste – uma medida já adotada no Centro e na Zona Sul, como parte do ordenamento do transporte coletivo. “Temos informações de que existem grupos insatisfeitos com o processo licitatório em andamento, que reordena o transporte complementar no município. Esses grupos historicamente extorquiam, explorando a irregularidade e a falta de disciplina do segmento. A polícia está investigando quem está incentivando os protestos, mas já sabemos que há milicianos envolvidos”, disse o delegado Cláudio Ferraz, da Coordenadoria Especial de Transporte Complementar, ao Bom Dia Rio, da TV Globo.

O protesto começou na favela Rio das Pedras, reduto de um grupo de milicianos e onde operam cooperativas de vans. Foram montadas seis barricadas, com pneus em chamas. De acordo com a polícia, milicianos que controlam o transporte alternativo em Rio das Pedras estão envolvidos na manifestação.

Serviço – Desde domingo, os moradores de Rio das Pedras têm problemas para usar o transporte coletivo. De acordo com o jornal O Globo, a Polícia Militar proibiu temporariamente a entrada de ônibus na favela, devido a suspeitas de que os veículos seriam incendiados por milicianos insatisfeitos com as novas regras do transporte. Para ter acesso aos coletivos, os moradores precisam caminhar cerca de dois quilômetros até o ponto de bloqueio.

“Eles param os ônibus, as vans, e aterrorizam quem já tem autorização para prestar o serviço”, disse Ferraz, acrescentando que a Polícia Militar e a Guarda Municipal estão trabalhando para restituir o direito de ir e vir na comunidade.

Desde sábado, todas as vans estão proibidas de passar por quatro das principais vias da região – avenidas das Américas, Ayrton Senna, Armando Lombardi e Ministro Ivan Lins. O tráfego só estará liberado nas outras ruas da Barra da Tijuca e de Jacarepaguá. Os motoristas de vans que desobedecerem as novas regras serão multados em 1.250 reais.