Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Protesto contra a Copa reúne mil pessoas no Centro de SP

É a primeira manifestação para a qual a Polícia Militar enviou policiais treinados em artes marciais. O intuito, diz a corporação, é conter atos de vandalismo

Cerca de mil pessoas se concentravam neste sábado, na região da Praça da República, no Centro de São Paulo. Entre eles, aproximadamente 50 black blocs, com rostos cobertos. O policiamento na região foi reforçado e, no início do protesto, havia mais policiais do que manifestantes. A marcha começou pela Avenida Ipiranga. Policiais fizeram um cerco e caminho em fila por ambos os lados do grupo e por trás. A maior parte dos agentes está sem armas no coldre.

Este é o segundo ato convocado neste ano para protestar contra a realização da Copa do Mundo no Brasil – o primeiro ocorreu no último dia 25 de janeiro. Compõem o policiamento integrantes do grupamento de policiamento a pé e a Força Tática. A forte chuva que cai em algumas áreas da ccomecar a marcha pela Avenida Ipiranga. Os policiais fazem um cerco e caminham em fila por ambos os lados do grupo e atras. A maior parte dos policias esta sem armas no coldreapital paulista contribuiu para reduzir a quantidade de pessoas que compareceram ao ato.

Pela primeira vez, está prevista a participação organizada de policiais com treinamento em artes marciais, para conter possíveis ações violentas dos black blocs – que, por sua vez, também avisaram estar em preparação para atuar em protestos antes e durante a Copa do Mundo. Uma das estratégias da polícia para evitar tumultos foi a de agendar, para o horário da manifestação, depoimentos em delegacias de integrantes do grupo Black Bloc.

Leia também:

PM vai testar policiais praticantes de artes marciais contra black blocs

Os black blocs têm agora uma morte sobre os ombros

Dono do Fusca queimado em protesto anti-Copa ganha Brasília amarela