Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

MPF abre inquérito para investigar brasileiros que zombaram de russa

Órgão avalia enquadrar o crime como injúria por entender que o grupo de torcedores humilhou a vítima publicamente

Por Estadão Conteúdo Atualizado em 21 jun 2018, 18h23 - Publicado em 21 jun 2018, 16h52

O Ministério Público Federal no Distrito Federal abriu inquérito criminal para investigar os brasileiros que constrangeram uma mulher russa, na Copa do Mundo, ao fazê-la repetir, em vídeo, palavras em português de baixo calão sem que ela soubesse o significado. A Procuradoria avalia enquadrar o caso como crime de injúria.

O MPF entende que a conduta dos brasileiros ofendeu a dignidade da mulher e a expôs a humilhação pública, “diante do cunho nitidamente machista e discriminatório percebido nas imagens”. A instauração da investigação foi determinada com base na Convenção Internacional sobre Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Contra a Mulher.

  • Nas imagens, o grupo de ao menos cinco homens, alguns com a camisa da seleção brasileira, tenta convencer a moça a gritar uma frase impublicável, uma referência constrangedora a ela própria. Trata-se da velha piada de mau gosto de fazer estrangeiros repetirem termos chulos em português. Claramente sem entender o significado do que é dito, ela tenta acompanhar os torcedores.

    Petição

    Na Rússia, uma jurista iniciou um abaixo-assinado pedindo que os brasileiros sejam responsabilizados criminalmente no país pela atitude. Segundo Aelna Popova, os torcedores poderiam ser enquadrados em quatro violações ao gritar termos chulos para a mulher.

    Continua após a publicidade
    Publicidade