Clique e assine com até 92% de desconto

Prisões nas blitze da Lei Seca crescem 240% em SP

Fiscalização da PM em todo o estado prendeu 435 pessoas entre sexta-feira e a Quarta-Feira de Cinzas; no Carnaval do ano passado, foram registradas 128

Por Da Redação 14 fev 2013, 15h01

O número de motoristas presos por embriaguez pela polícia no estado de São Paulo nas blitze de Carnaval aumentou 240% em relação ao mesmo período do ano passado. As ações começaram na sexta-feira e se estenderam até o meio-dia de quarta-feira. Nesse período, a PM prendeu 435 pessoas que dirigiram sob efeito de álcool, ante 128 do Carnaval anterior.

As multas aplicadas pela PM a condutores que dirigem sob o efeito de álcool ou de outras substâncias psicoativas também cresceu 22%. As autuações passaram de 1.164 infrações em 2012 para 1.419 neste ano.

Pela nova Lei Seca, os motoristas flagrados com mais de 0,34 miligramas de álcool por litro de ar expelido no teste do bafômetro podem ser presos em flagrante e responder por crime de trânsito. O simples consumo de álcool já pode configurar infração de trânsito, com multa de 1 915,40 reais. Uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), publicada em 29 de janeiro, endureceu ainda mais a tolerância a condutores que dirigem alcoolizados. A partir dessa data, a multa passou a ser aplicada quando constatado um nível superior a 0,05 miligramas de álcool por litro de ar expelido. Antes, o limite era de 0,1 miligrama.

Os números são um reflexo do aumento da fiscalização. Neste ano, a PM submeteu 11.396 motoristas ao teste do bafômetro – aumento de 35% em relação ao ano passado, quando 8.445 motoristas passaram pelo teste.

Drogas – Na sexta-feira, foi flagrado o primeiro motorista por uso de droga durante uma operação experimental do governo do estado para detectar motoristas que dirigem sob efeito de entorpecentes. O novo programa, chamado de Direção Segura, foi anunciado na sexta-feira pelo governo paulista. Serão gastos 40 milhões de reais para implantar o novo modelo de fiscalização. Além do bafômetro, a PM terá um sistema que detecta o consumo de drogas com uma amostra de saliva.

Continua após a publicidade
Publicidade