Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Preso escapa com as armas e o carro da polícia em GO

Por Rubens Santos

Goiás, (AE) – O bandido Marco Antônio Fiúza da Silva, de 36 anos, conseguiu escapar da Polícia de Goiás, agora à noite, após ser preso, algemado, e escoltado quando era recambiado do município de Iporá, distante 230 quilômetros de Goiânia, para Aparecida de Goiânia (GO).

“Ainda não sabemos exatamente o que aconteceu”, disse o delegado Rener de Souza Morais, titular da 2ª Delegacia de Aparecida de Goiânia, onde Silva ficaria preso. “Ele se livrou das algemas, apoderou-se das armas, fez os policiais saírem da viatura e voltou para Guapó”, afirmou o delegado. “Mas agora está cercado numa mata fechada, em Quirinópolis, e vamos prendê-lo”, disse.

Quirinópolis se localiza na região sudoeste do Estado. E os policiais do caso, especializados em escolta, “vão responder a inquérito”, disse o delegado Antônio Gonçalves, superintendente da Polícia Judiciária.

Apesar da reação, o caso constrangeu a Polícia de Goiás pois reviveu o passado de outro bandido. Trata-se de Leonardo Pareja (1974-1996), que antes de ser morto no interior de um presídio humilhou a Policia com fugas audaciosas.

“Ligeirinho”, apelido do desempregado e usuário de craque Marco Antônio Fiúza da Silva, também tem ficha policial extensa – nove passagens por roubo, furto, espancamento de uma mulher e assalto em nos municípios de Guapó, Paranaiguara, Quirinópolis e Indiara, Iporá e Aparecida de Goiânia. E, escapou de vários cercos nas ultimas 20 horas.

Em Iporá, livre da polícia e das algemas, o”baixinho”, calvo e 1,65m de altura, abandonou o carro policial. Um amigo da cidade, onde ele espancou a namorada e foi enquadrado na Lei Maria da Penha, cedeu outro veículo. Na fuga, entrou na vizinha Indiara, depois Edeia.

Já em Rio Verde, assaltou um motoboy. De moto chegou em Quirinópolis, visitou sua mãe. Hoje pela manhã, se despediu dos parentes para tomar de assalto um caminhão. Ao perceber que estava sendo seguido pela polícia, abandonou o veículo para se esconder na mata.

“Agora está cercado pela policia”, disse o delegado Rener Morais. “Já estou esperando o resultado do cerco, porque será preso novamente”, disse.