Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Preocupação com pandemia diminui no Brasil e no mundo, diz pesquisa

Estudo realizado pela Ipsos Global Adviser mostra ainda que pobreza e corrupção também tiram o sono dos brasileiros

Por Alessandro Giannini Atualizado em 5 ago 2021, 11h09 - Publicado em 5 ago 2021, 09h54

Com o que as pessoas mais se preocupam no mundo? Uma pesquisa recente da Ipsos Global Advisor realizada em 28 países, incluindo o Brasil, mostra que a pandemia de Covid-19 ainda tira o sono de muita gente, mas não mais como há um ano. A preocupação com o novo coronavírus está no nível mais baixo desde que a empresa começou a monitorá-lo, com 36% dos mais de 20 mil entrevistados dizendo que a doença ainda os deixa sem dormir – tendência também verificada entre os brasileiros. Em seguida, vêm desemprego (32%), pobreza e desigualdade (31%), corrupção (30%) e crime (26%).

No Brasil, a preocupação com o novo coronavírus diminuiu 13 pontos percentuais em julho, caindo para 46%. Mas continua sendo a maior dor de cabeça dos brasileiros, seguida por pobreza e desigualdade social e corrupção política – ambas as categorias com 35%. Desemprego e trabalho são o que faz sofrer 29% da população, enquanto crime e violência acabam com o dia de 27% das pessoas.

As questões ambientais parecem não perturbar os brasileiros. Apenas 3%, estão preocupados com mudanças climática. Já as ameaças contra o meio ambiente deixam 10% da população ressabiada. É uma relação inversa com a tendência mundial, em que 14% estão preocupados com as mudanças climáticas e 9% com as ameaças ao meio ambiente.

Enquanto isso, 63% dizem que as coisas em seus respectivos países estão no “caminho errado”, o que é uma tendência mais ou menos estável na série histórica. Onde mais as pessoas estão descontentes com os rumos de seus países são a Colômbia (88%) e o Peru (86%), seguido pela África do Sul (83%), a Turquia (82%) e o Brasil (76%). Faz sentido.

Continua após a publicidade
Publicidade