Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Prefeito do Rio tomba o prédio do antigo Museu do Índio

Imóvel da Escola Municipal Friedenreich, no Complexo Esportivo do Maracanã, também foi tombado. Qualquer alteração na construção tem de ser aprovada previamente

Por Pâmela Oliveira, do Rio de Janeiro 12 ago 2013, 16h15

A Prefeitura do Rio publicou no Diário Oficial desta segunda-feira o tombamento do prédio do antigo Museu do Índio, nas imediações do Maracanã. A área, ocupada por um grupo que chama o terreno de “aldeia Maracanã”, foi motivo de intensa disputa entre defensores dos direitos indígenas e o governo do Rio. O governador Sérgio Cabral já havia desistido de demolir as ruínas do prédio. Com o tombamento, qualquer alteração estrutural ou de uso fica controlada pelos órgãos de proteção do patrimônio.

Outro decreto publicado nesta segunda-feira atende às reivindicações das ruas: o tombamento do imóvel onde funciona a Escola Municipal Friedenreich, localizada no Complexo Esportivo do Maracanã. O plano inicial do governador Sérgio Cabral era usar o terreno da escola para obras de adaptação do ginásio Maracanãzinho para os Jogos Olímpicos de 2016.

No início da semana, no entanto, o governador – que tem adotado uma série de medidas para tentar reverter a queda de popularidade e a desaprovação ao governo – já havia desistido de transferir a escola para outro local. Com o decreto, que tomba o prédio provisoriamente, qualquer alteração na construção terá que ser aprovada pelo Conselho Municipal de Proteção ao Ambiente Cultural.

Leia também:

Grupo volta a invadir antigo Museu do Índio no Maracanã

Museu do Índio será transformado em Museu Olímpico

No Maracanã, o milagre da multiplicação dos índios

Continua após a publicidade

Publicidade