Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Prefeito de BH recorre ao STF contra decisão que liberou cultos e missas

'Por mais que doa no coração de quem defende a vida, ordem judicial se cumpre', disse Alexandre Kalil, após ser intimado

Por Mariana Muniz 4 abr 2021, 17h00

A prefeitura de Belo Horizonte acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) contra a decisão do ministro Kassio Nunes Marques que liberou a realização de cultos e atividades religiosas durante a Páscoa, no pior momento da pandemia de Covid-19 no Brasil.

O movimento ocorre após o prefeito da capital mineira, Alexandre Kalil, afirmar que cultos e missas continuavam proibidos e ser intimado a cumprir a decisão.

Segundo Kalil, Belo Horizonte respeitaria o entendimento do plenário do Supremo  — que em abril de 2020 determinou que estados e municípios tinham autonomia para adotar medidas de proteção.

Neste domingo, no entanto, o prefeito da capital de Minas Gerais voltou atrás e afirmou que “ordem judicial se cumpre”. “Já entramos com recurso e aguardamos a manifestação do Presidente do Supremo Tribunal Federal”, escreveu ele nas redes sociais. 

 

Continua após a publicidade
Publicidade