Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

População de SP deve evitar deslocamentos em meio a temporais, diz Doria

Em Dubai, governador de São Paulo declarou que sua gestão aumentou investimentos em prevenção de enchentes, mas que não é possível evitá-las completamente

Por João Pedroso de Campos, de Dubai Atualizado em 10 fev 2020, 12h06 - Publicado em 10 fev 2020, 11h24

DUBAI (EMIRADOS ÁRABES UNIDOS) – O governador de São Paulo, João Doria, comentou nesta segunda-feira, 10, os transtornos causados pelas fortes chuvas que atingiram hoje o estado, sobretudo na capital e na Região Metropolitana, que registraram diversos pontos de alagamento e enchentes. Doria classificou como “grave” em alguns locais e disse que as defesas civis estadual e municipal atuam coordenadas.

Em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, onde cumpre agenda em uma missão de negócios desde o domingo 9, Doria afirmou que os temporais colocam “praticamente todo o estado” de São Paulo em estado de atenção e orientou a população a evitar deslocamentos que não sejam “absolutamente necessários”. O tucano disse estar monitorando os desdobramentos das chuvas desde a manhã de hoje.

“Em poucas horas tivemos mais de 140 milímetros de chuva, o que é um índice elevadíssimo que coloca em estado de atenção praticamente todo nosso estado. Nesse período tomo aqui a iniciativa de sugerir às pessoas que evitem deslocamentos, exceto aqueles absolutamente necessários, porque o deslocamento nas ruas, com a intensidade de chuvas, põe em risco as pessoas. Evitar deslocamentos até que as chuvas diminuam e a Defesa Civil vai monitorando isso”, declarou Doria, após participar da inauguração do escritório de investimentos de São Paulo em Dubai.

Por causa do temporal, o rodízio de veículos na capital paulista foi suspenso. No início da manhã, de acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas de São Paulo (CGE-SP), a cidade tinha 76 pontos de alagamentos, sendo oito transitáveis e 68 intransitáveis. Às 9h, o número baixou para 56 pontos de alagamentos, sendo 51 intransitáveis e cinco transitáveis. A Marginal Tietê, na região da Ponte da Casa Verde, foi totalmente interditada por volta das 5h30 após o rio transbordar. Na mesma via, também houve transbordamento do rio na altura da Ponte do Piqueri.

Já na Marginal Pinheiros, houve transbordamentos junto às pontes Cidade Universitária e Jaguaré, que deixaram os trechos intransitáveis. A região do Cebolão, que liga as duas marginais com a Rodovia Castello Branco, também foi totalmente paralisada por volta das 5h30.

Continua após a publicidade
  • Segundo João Doria, o governo estadual aumentou os investimentos em prevenção de enchentes em 2019, primeiro ano de sua gestão no Palácio dos Bandeirante. Ele citou obras de piscinões entre as medidas intensificadas contra este tipo de incidente, mas reconheceu não ser possível evitar completamente os alagamentos.

    “Evitar (as enchentes) por completo não será evidentemente algo possível, já que a incidência de chuvas ao longo dos anos, a mudança climática, está impondo também um volume de chuvas maior não só no estado de São Paulo, mas no Rio de Janeiro, no Espírito Santo e em Minas Gerais, entre outros”, declarou.

    “É preciso que nós ampliemos a possibilidade de novos investimentos em piscinões, porque evitam os alagamentos e as enchentes junto a córregos e rios, é o que estamos fazendo sobretudo no piscinão do Jaboticabal, no Gande ABC, com a participação do governo federal. Alertas à população sobretudo nada período que vai de janeiro ao final de março e investimento em infraestrutura e evitar a impermeabilização do solo”, completou.

     

    O repórter viajou a convite do governo de São Paulo

    Continua após a publicidade
    Publicidade