Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia recupera armas roubadas do sítio de Malhães

Armamento estava em uma casa em Nova Iguaçu. Duas pessoas foram presas

(Atualizado às 21h34)

A Polícia Civil do Rio recuperou no último fim de semana “grande parte” das armas roubadas da casa do coronel reformado do Exército Paulo Malhães. Torturador confesso de presos políticos durante a ditadura militar brasileira, Malhães foi encontrado morto no dia 25 de abril, depois de um suposto assalto no sítio onde morava, na zona rural de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Laudo preliminar do Instituto Médico Legal (IML) divulgado nesta segunda-feira revelou que o tenente-coronel reformado do Exército Paulo Malhães morreu vítima de enfarte. A polícia apura se os criminosos agrediram o militar, o que pode ter resultado no enfarte, ou se a parada cardíaca foi causada exclusivamente pela emoção do momento.

A viúva de Malhães reconheceu as armas (uma carabina e seis fuzis), além de munição e talheres apreendidos. Duas pistolas seguem desaparecidas. Para a polícia, porém, a tese de latrocínio foi reforçada pela apreensão do fim de semana.

Com base em análises do setor de inteligência policial, os agentes da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) realizaram diversas diligências em vários pontos da cidade e conseguiram localizar uma residência onde o armamento estava escondido. Duas pessoas que estavam no local foram presas em flagrante por porte ilegal.

Leia também:

Caseiro de coronel assassinado no Rio, agora, nega participação no crime

ONU cobra ‘investigação imediata’ da morte de Malhães

(Com Estadão Conteúdo)