Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia procura estuprador que atacou estudante na Uerj

Delegado vai solicitar imagens de câmeras de segurança para identificar o estuprador. Crime ocorreu na noite do último dia 11, no campus Maracanã

A Polícia Civil do Rio investida um estupro cometido no estacionamento do campus da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj). A vítima, uma universitária, foi atacada na noite do último dia 11, na unidade do Maracanã – a principal da universidade. A 18ª DP (Praça da Bandeira) confirmou que o caso foi registrado e que deverá chamar, até o fim desta semana, a jovem para obter mais detalhes sobre o crime e o estuprador.

O delegado Fábio Barucke, que tomará o depoimento da estudante, não quis comentar o caso, mas confirmou que a investigação está em curso. O caso foi registrado inicialmente na 20ª DP (Vila Isabel) e o inquérito foi encaminhado para a 18ª DP. Barucke pretende solicitar imagens das câmeras de segurança do campus, do estacionamento e de áreas próximas para tentar identificar pistas do criminoso.

LEIA TAMBÉM:

Identificado estuprador do metrô do Rio

Estupro na van: criminosos se recusam à falar à Justiça

Turista americana foi estuprada oito vezes na van

O caso é o mais recente de uma sequência de crimes sexuais que amedrontam o Rio de Janeiro. Entre os estupros recentes ocorridos no Rio, está o da estudante americana violentada oito vezes dentro de uma van, por três homens, no dia 30 de março. Na segunda-feira, a Justiça ouviu testemunhas do caso – os acusados mantiveram-se em silêncio. Nesta terça-feira, a Polícia Civil informou que foi identificado o homem acusado de estuprar uma mulher em um banheiro da estação Central do Brasil do metrô do Rio, na noite de 4 de janeiro.

A nota de repúdio publicada por um grupo de estudantes da Uerj A nota de repúdio publicada por um grupo de estudantes da Uerj

A nota de repúdio publicada por um grupo de estudantes da Uerj (/)

No Facebook, a página “Uerj da depressão”, ocupada principalmente por posts de humor, traz uma “nota de repúdio” de um grupo que se intitula Coletivo de Mulheres da UERJ. “O Coletivo de Mulheres da UERJ repudia o ato de abuso sexual contra a estudante da UERJ na festa de Recepção de Calouros 2013.1, que ocorreu no sábado – dia 11/05 no campus Maracanã. Nos últimos meses diversas denuncias de tentativas de estupro na uerj chegaram a publico via internet, chegando a serem publicadas até nos meios de comunicação. Frente a isto nossa universidade não deu qualquer resposta, limitando-se a dizer não ter tomado conhecimento oficial dos casos. Tal descaso refletiu-se em que não fossem até hoje tomadas quaisquer providencias para coibir e impedir este tipo de violência, nos levando hoje ao conhecimento deste revoltante caso”, diz o post.

A mesma página tem uma forma inusitada de alertar sobre assaltos na região do campus Maracanã: um mapa com rotas em vermelho, amarelo e verde, indicando o grau de risco de assaltos nas vias de acesso à universidade. Estudantes que já foram assaltados marcam no mapa os pontos onde foram atacados.

Por dentro da mente de um estuprador

Pastor Marcos é acusado de estuprar menores e de matar uma delas

Vítimas do pastor Pereira Marcos afirmam que estupros eram parte da salvação

Mulher estuprada em ônibus no RIo lembra 1 hora de terror

O grupo que denunciou o caso pelo Facebook cobra responsabilidade dos organizadores da festa, que reuniu estudantes dos cursos de engenharia, economia, Educação Física, Psicologia, Nutrição, Odontologia, Biologia, Química e Oceanografia.

“Exigimos que esse estuprado não só responda pelos seus atos, mas que a reitoria, todos os coletivos e centros acadêmicos da Uerj, envolvidos ou não na organização da festa, deem uma resposta ao abuso ocorrido”.

Estatísticas – Os registros de estupro no estado do Rio mostram que, nos três primeiros meses de 2013, os números se mantiveram estáveis, em relação ao ano passado. Houve 1.503 registros em janeiro, fevereiro e março deste ano, ante 1.507 no período correspondente de 2012.