Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia prende suspeito de participar de assalto de ouro em Guarulhos

Quadrilha roubou um valor estimado em 117 milhões de reais no terminal de cargas do Aeroporto Internacional de Cumbica, em São Paulo

Um quinto suspeito em participar do assalto ao terminal de cargas do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, foi preso nesta sexta-feira, 22, pelo Departamento de Investigações Criminais (Deic). Segundo a investigação, Marcelo José de Lima teria participado de todas as fases do crime. O roubo aconteceu em 25 de julho deste ano e o valor estimado é de 117 milhões de reais.

A prisão foi realizada por policiais da Delegacia de Roubo a Banco do Deic. Segundo a Polícia Civil, Lima tem passagens anteriores pela prisão por roubo a carro-forte. Ele morava no Morumbi, na zona oeste de São Paulo, e estava construindo uma chácara de alto padrão em Atibaia, no interior paulista, a cerca de 70 quilômetros da capital.

Antes, a Polícia Civil já havia prendido outros quatro suspeitos de participar do assalto. O homem apontado como mentor do grupo, Francisco Teotônio da Silva Pasqualine, o Velho, continua foragido. Outro suspeito, Joselito de Souza, dono do estacionamento usado pela quadrilha para clonar viaturas da PF, também é procurado e tem contra si um mandado de prisão.

O caso

Um grupo de homens armados, disfarçados de policiais, assaltou o terminal de cargas do Aeroporto Internacional de Guarulhos no dia 25 de julho deste ano. Eles roubaram 711 quilos de ouro, 36 quilos de prata, 15 quilos de esmeralda bruta, 18 relógios e um colar de luxo — o valor estimado é de 117 milhões de reais. De acordo com a polícia, ao menos dez pessoas participaram do crime.

Eles entraram no armazém em dois veículos e abordaram os agentes do terminal. A carga, que foi roubada de um carro-forte, seguiria para Zurique, na Suíça, e Nova York, nos Estados Unidos. Não houve tiroteio ou feridos. O roubo notícia em diversos veículos da imprensa internacional. O jornal espanhol El País comparou o crime aos “roubos mais espetaculares de filmes”.

(Com Estadão Conteúdo)