Polícia prende ex-secretária de Manaus que ficou milionária no cargo

Segundo o Ministério Público, Waldívia Alencar e seus familiares acumularam 23 imóveis espalhados em vários estados

Por Estadão Conteúdo - Atualizado em 18 abr 2018, 16h37 - Publicado em 18 abr 2018, 11h28

A ex-secretária de Infraestrutura de Amazonas Waldívia Alencar foi presa temporariamente nesta quarta-feira. Ela é alvo da Operação Concreto Armado, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual do Amazonas. A investigação, que mira fraudes em contratos da pasta, apurou que ela ficou milionária no cargo.

Influente, Waldívia passou por três governos no Amazonas (Omar Aziz, Jose Melo e Eduardo Braga). Segundo o Ministério Público Estadual, ela e seus familiares acumularam 23 imóveis espalhados em vários estados avaliados em mais de R$ 11 milhões. O número de imóveis, no entanto, pode chegar a 40, segundo planilhas encontradas com Waldívia.

Segundo o Gaeco de Amazonas, a Operação Concreto Armado mira uma organização criminosa que se instalou na Secretaria de infraestrutura no período em que Waldívia foi secretária. Diversas apurações do Tribunal de Contas do Estado revelam a não execução de obras e superfaturamentos de contratos em valores que atingem os R$ 25 milhões.

De acordo com dados do Conselho de Controle de Atividades Econômicas (Coaf), órgão do Ministério da Fazenda que fiscaliza transações financeiras, saques de Waldívia chegam a R$ 1,4 milhão em um período de três anos.

Publicidade