Clique e assine a partir de 9,90/mês

Polícia prende ex-piloto de Perrella e apreende helicóptero em SP

Aeronave teria sido utilizado para transporte de drogas entre a Bolívia e a capital paulista, segundo a polícia

Por Estadão Conteúdo - 26 abr 2018, 09h53

A Polícia Civil apreendeu na quarta-feira, em Arujá, na região metropolitana de São Paulo, um helicóptero que teria sido utilizado para transporte de drogas entre a Bolívia e a capital paulista. Três pilotos foram detidos, entre eles Rogério Almeida Antunes, preso em 2013 por transportar 450 quilos de cocaína em helicóptero da empresa do ex-deputado estadual mineiro Gustavo Perrella.

O helicóptero foi localizado dentro de uma oficina no bairro Jardim Fazenda Rincão. Dentro dele, foram encontrados vestígios de cocaína e dois tambores de gasolina que, segundo a polícia, são utilizados para aumentar a autonomia da aeronave em viagens de longa duração. O helicóptero também não tinha outros bancos além do assento do piloto e teve o GPS removido.

De acordo com o chefe de investigações da Delegacia de Investigação sobre Entorpecentes (Dise) de São Bernardo do Campo, Carlos César Alves, a aeronave era monitorada desde janeiro e pode ter sido utilizada por Felipe Ramos Moraes, piloto suspeito de ter se envolvido no assassinato de integrantes da facção Primeiro Comando da Capital (PCC).

Segundo Alves, a aeronave era utilizada por facções criminosas para transportar drogas da Bolívia para São Paulo. Nos últimos quatro dias, o helicóptero realizou 56 horas de viagem. Nenhuma delas foi registrada no diário de bordo ou reportada à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Continua após a publicidade

“A aeronave voava sem plano de voo, sem avisar a Anac, em horário de fim de semana. O típico de aeronave que transporta drogas”, afirmou o chefe de investigações. De acordo com o Dise, o helicóptero também está em nome de laranja. “É realmente um esquema sofisticado e que dificilmente a polícia consegue identificar”, disse Alves.

Publicidade