Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia pede prisão preventiva de acusados de linchamento

Suspeitos já cumpriam prisão temporária. Delegado responsável pelo caso aguarda decisão do juiz da Primeira Vara Criminal de Guarujá

A Polícia Civil pediu a prisão preventiva de cinco acusados de participar do linchamento que matou a dona de casa Fabiane Maria de Jesus, de 33 anos, no Guarujá (SP), na primeira semana de maio. De acordo com o delegado da 1ª DP do Guarujá, Luiz Ricardo de Lara, a medida foi tomada perto de expirar a prisão temporária – 30 dias – decretada poucos dias após o crime, quado os acusados foram identificados por vídeos gravados por moradores de Morrinhos, bairro onde ocorreu a tragédia. “Estamos aguardando a decisão do juiz da 1ª Vara Criminal do Guarujá”, diz o delegado.

Leia também:

‘Ela pediu pelo amor de Deus para não morrer’, diz marido

Fabiane foi apontada falsamente como a criminosa depois de oferecer fruta a um menino que brincava na rua. Ela foi espancada a arrastada até o bairro de Morrinhos 4, uma área de palafitas, onde é difícil o acesso de policiamento. A dona de casa foi levada para o hospital Santo Amaro, onde ficou na UTI por alguns dias, mas não resistiu e morreu.

O ajudante de serviços gerais Lucas Rogério Fabrício Lopes, de 19 anos, foi o segundo dos agressores a ser preso. Lopes chegou a declarar, em depoimento à polícia, que a mãe de Batalha Júnior visitou a sua casa após o crime e disse que o filho havia sido morto por marginais. Dias depois, o quinto preso foi encontrado pela polícia em Mongaguá.

O primeiro suspeito preso foi o eletricista Valmir Dias Barbosa, de 48 anos, acusado de bater com uma tora de madeira na cabeça da vítima. Dois dias depois, foram detidos Lucas Rogério Fabrício Lopes, de 19 anos, e o pintor Carlos Alex Oliveira de Jesus, de 23 anos. Ambos desferiram golpes contra Fabiane. Jair Batista dos Santos, de 35 anos, entregou-se na delegacia acompanhado de seu advogado. Até o momento, ele foi o único que negou participação no crime. A polícia, no entanto, afirma que ele empurrou Fabiane em um mangue.

O último suspeito a ser preso foi Abel Vieira Batalha Júnior, de 18 anos, conhecido como ‘Pepê’. Ele aparece no vídeo usando fios elétricos para amarrar os pés e braços de Fabiane durante a barbárie. Ela foi agredida porque foi confundida com retrato falado de uma mulher que sequestrava crianças para prática de magia negra no Rio de Janeiro. O retrato falado usado para resolver esse crime foi postado pela página no Facebook Guarujá Alerta poucos dias antes do linchamento.