Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Polícia indicia mais dois por morte na Galeria do Rock

Os dois suspeitos foram detidos com Rodolfo Almeida, apontado como autor do crime; vítima seria sua ex-mulher

Por Eduardo Gonçalves 12 set 2013, 21h10

A Polícia Civil indiciou mais dois homens, nesta quinta-feira, pela morte de uma mulher, identificada apenas como Renata, em um bar dentro da Galeria do Rock, no centro de São Paulo. O açougueiro Eduardo Thomé Santos, de 35 anos, e Ricardo Gabriel Inácio, de 26, foram detidos com o tatuador Rodolfo Preisig de Almeida, de 28, apontado como o autor do crime. Os presos responderão por homicídio doloso e resistência à prisão.

Após cometer o crime, os três homens saíram correndo entre os carros pela Avenida São João. Policiais militares que patrulhavam a área conseguiram capturar Almeida e os outros dois foram detidos por agentes da Guarda Civil Metropolitana (GCM). Com eles foram apreendidos um machado, um pedaço de madeira manchado de sangue e um canivete de 12 centímetros – indicado como a arma do crime.

Caso – Segundo a Polícia Civil, o assassinato ocorreu por volta das 16h. Testemunhas relataram à PM que a vítima discutia com outra mulher em um bar da galeria, quando Almeida interveio e esfaqueou Renata com um canivete. O golpe a atingiu no pescoço e ela morreu na hora.

De acordo com pessoas que trabalhavam no local, Renata costumava frequentar a Galeria e era ex-mulher de Rodolfo. A mulher com quem a vítima discutia antes de morrer foi apontada como a namorada atual do suspeito. Ela ainda não foi levada à delegacia.

A Polícia Civil obteve imagens do circuito interno da galeria que registraram a hora do crime. Os investigadores trabalham com a hipótese de que a vítima foi assassinada devido a um desentendimento com a outra mulher ou por uma briga entre grupos rivais. Suspeita-se que Renata fazia parte de uma gangue de skinheads e Rodolfo, de punks.

Continua após a publicidade

Publicidade