Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Polícia convoca pais para conter ‘rolezinho’ em SP

Delegado organizou conversa com organizadores do rolezinho no Shopping Aricanduva e seus responsáveis para convencê-los a cancelar o evento

Por Mariana Zylberkan 22 jan 2014, 19h33

Na tentativa de conter a onda dos rolezinhos, encontro de jovens da periferia nos shoppings de São Paulo, o delegado titular do 66º DP (Aricanduva), Arthur Frederico Moreira, convocou dois organizadores de encontro marcado para esta sexta-feira no Shopping Aricanduva para comparecer na delegacia nesta quarta-feira acompanhado dos pais. O encontro informal, segundo o delegado, foi agendado para convencê-los a cancelar o evento. “Felizmente conseguimos o esperado e eles vão dar um breque nos rolezinhos”, diz.

Leia também:

Associação de lojistas de shoppings quer ‘rolezódromo’ em SP

Em VEJA desta semana: Rolezinhos: “Eu não quero ir no seu shopping”

Fora de shoppings, ‘rolezinho’ do Ibirapuera não vinga

O delegado afirma que a conversa foi acompanhada pelo secretário municipal de Promoção da Igualdade Racial de São Paulo, Netinho de Paula, destacado para intermediar a comunicação entre os “rolezeiros” e a prefeitura. “Eu apenas os orientei pois não tenho o poder de puni-los caso insistam em manter o rolezinhos”, disse o delegado.

Um dos organizadores, Rafael Oliveira Paixão, de 18 anos, disse que não irá cancelar o rolezinho, mas delegou a organização a outra pessoa. “Fiquei com medo”, diz.

Administradores de shopping centers têm recorrido a multas previstas em liminares para tentar barrar a invasão de jovens.

Com mais de 5.400 convidados e 885 presenças confirmadas, Paixão transferiu o rolezinho no Shopping Aricanduva para o Parque Ibirapuera nesta quarta-feira após ser chamado para prestar depoimento na delegacia.

Continua após a publicidade
Publicidade