Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Polícia Civil deflagra operação contra fraudes em concursos, no DF

Agentes cumprem onze mandados de prisão temporária e doze de busca e apreensão em diversas regiões do Distrito Federal

Por Agência Brasil Atualizado em 28 mar 2018, 15h53 - Publicado em 28 mar 2018, 10h40

A Polícia Civil do Distrito Federal deflagrou nesta quarta-feira a Operação Magister contra fraudes em concurso público da Secretaria de Educação. Seis professores da rede pública de ensino, nomeados no último concurso, são alvo de mandados de prisão. Os policiais civis da Coordenação Especial de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado, aos Crimes contra a Administração Pública e aos Crimes contra a Ordem Tributária (Cecor) cumprem onze mandados de prisão temporária e doze de busca e apreensão em diversas regiões do Distrito Federal.

A Magister é a terceira fase da Operação Panoptes, que investiga a máfia dos concursos públicos e os grupos criminosos que se dedicam a esse tipo de crime no Distrito Federal. De acordo com a Polícia Civil, os candidatos que compraram as vagas nos concursos também estão na mira das investigações. O valor da vaga variava de acordo com o concurso e era, em média, até vinte vezes maior que o salário do cargo pretendido.

  • Nas duas primeiras fases, doze pessoas foram presas, suspeitas de aliciar os candidatos para a realização da fraude. Segundo a Polícia Civil, entre os presos estava o líder do grupo, Helio Ortiz.

    De acordo com as investigações, a organização burlava o exame de quatro formas: o uso de pontos eletrônicos, pelos quais os candidatos recebiam as respostas; aparelhos celulares deixados nos locais da prova, como banheiros; identidades falsas, para que terceiros se passassem pelo candidato e realizassem a prova; e participação de integrantes das bancas examinadoras na organização criminosa.

    Continua após a publicidade
    Publicidade