Clique e assine a partir de 9,90/mês

Polícia Civil conclui inquérito sobre o caso Juan

A instituição pediu à Justiça a decretação da prisão dos quatro PMs envolvidos na morte do menino

Por Da Redação - 14 set 2011, 20h31

A Polícia Civil do Rio concluiu o inquérito sobre a morte do menino Juan Moraes, de 11 anos, e pediu à Justiça a decretação da prisão preventiva de quatro policiais militares. Os PMs são acusados de envolvimento na morte do rapaz, que ocorreu no dia 20 de junho, após uma operação policial na favela Danon, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Desde o dia 21 de julho, os PMs estão presos temporariamente. Segundo o delegado responsável pela investigação, Ricardo Barbosa, da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense, as testemunhas estavam acuadas e com medo de sofrerem represálias.

A finalização do inquérito veio confirmar as suspeitas levantadas pelo delegado em julho. Naquele mês, Barbosa havia informado que somente a polícia atirara durante a operação. Um vídeo feito após a ação policial na favela esclareceu os locais onde tinha sangue, cartuchos encontrados e marcas de tiros.

Durante as investigações, a delegacia apreendeu todos os fuzis 762 do 20º BPM (Mesquita), de onde os policiais eram lotados. Isso porque, após a operação, os PMs apresentaram dois fuzis à 56ª DP (Comendador Soares). Ainda faltava um terceiro. Depois da perícia das armas, o fuzil foi encontrado.

LEIA TAMBÉM:

Continua após a publicidade

A sucessão de erros cometidos pela polícia

Publicidade