Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Polícia Civil apura maus-tratos em racha de charretes em rodovia de SP

Vídeo mostra cavalo e condutor caindo durante a corrida. Um dos participantes da disputa ilegal já foi identificado e será ouvido pelas autoridades

Por Estadão Conteúdo - 2 out 2018, 11h08

A Polícia Civil abriu inquérito na segunda-feira para apurar indícios de maus-tratos aos animais em um “racha” de charretes na rodovia Raposo Tavares, em Mairinque, município do interior de São Paulo. A investigação tem como base vídeos postados em redes sociais pelos participantes da corrida. Um deles mostra um dos cavalos caindo durante a disputa, após ser fustigado pelo condutor da charrete. Na queda, o animal e o condutor quase são atropelados por um veículo.

O racha foi filmado no km 65 da rodovia, na altura do bairro Marmeleiro. As imagens mostram que as charretes ocupam as duas faixas da estrada, impedindo a passagem de outros veículos. Os equipamentos são do tipo biga, usados em passeios.

De acordo com a delegada Fernanda Ueda, as imagens mostram que os cavalos são obrigados a um grande esforço para atingir o máximo de velocidade durante a corrida. No vídeo, é possível ver as faíscas provocadas pelo atrito das ferraduras com o asfalto.

Publicidade

Além de possível crime de maus-tratos, a delegada acredita que os envolvidos podem ser indiciados por colocar a própria vida e as de outras pessoas em risco. Um dos participantes do racha já foi identificado. Ele deve ser ouvido ainda nesta terça. A polícia busca também o paradeiro do cavalo que sofreu a queda e que, possivelmente, está ferido.

Moradores da região afirmam que o uso da rodovia, no trecho de Mairinque, para corridas de charretes é comum em fins de semana e em horários de pouco movimento. A Polícia Militar Rodoviária informou que, nesse perímetro, a rodovia é patrulhada diariamente e que já houve apreensões de veículos de tração animal conduzidos irregularmente.

Publicidade