Clique e assine a partir de 9,90/mês

Polícia baiana investiga morte de menina em piscina

Por Da Redação - 10 jul 2012, 20h38

Por Tiago Décimo

Salvador – A polícia baiana trabalha com a hipótese de negligência para o caso da menina de 4 anos que morreu na tarde de segunda-feira, em uma piscina do complexo hoteleiro Costa do Sauípe, em Mata de São João, litoral norte da Bahia. A delegada responsável pelo caso, Celina de Cássia Fernandes, titular em exercício da Delegacia de Praia do Forte, distrito de Mata de São João, começou a ouvir os testemunhos dos funcionários do hotel na tarde desta terça-feira.

“Temos a impressão de que a causa da morte foi mesmo afogamento, o que estamos investigando são as circunstâncias que levaram à ocorrência”, afirma. “Se for detectado que houve alguma falha, vamos atrás de quem deveria ter a responsabilidade no momento”. A vítima, Maria Eduarda Ribeiro Dantas, viajava com os pais e um irmão de 10 anos, residentes em Poá (SP), para aproveitar o feriado de 9 de julho no litoral baiano. Por volta das 14 horas de segunda-feira, ela foi localizada, já sem sentidos, na piscina destinada a adultos do Sauípe Park, um dos cinco hotéis que compõem o complexo. Ela foi atendida pela equipe médica do resort, que tentou a reanimação, mas a garota não resistiu.

O corpo da criança foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Salvador, passou por autópsia – o laudo deve ser conhecido em dez dias – e foi liberado na tarde desta terça-feira, depois que os pais foram ao local. A mãe da menina, Dagmar Ribeiro, contou que ela brincava com o irmão na piscina infantil do hotel. Os dois eram vigiados à distância pelos pais, que não identificaram o momento em que ela saiu do local. “Começamos a procurar pela área, até que vimos alguém tirando ela da piscina maior”, conta. De acordo com ela, não havia salva-vidas no local no momento do afogamento. “Foi um hóspede quem socorreu minha filha”, afirma.

Continua após a publicidade

Segundo comunicado distribuído pela assessoria do resort, os primeiros socorros foram prestados por um profissional de salvatagem contratado do complexo. Ainda de acordo com a nota, a menina foi encaminhada, de ambulância, ao centro médico do complexo, “onde recebeu atendimento imediato da médica plantonista”. De acordo com a administração de Sauípe, a criança não participava de nenhuma atividade promovida pelo hotel na hora da ocorrência e estava sob responsabilidade dos pais. Segundo policiais da Delegacia de Praia do Forte, o depoimento dos pais da criança foi marcado para quarta-feira. Depois de prestar esclarecimentos, eles viajam para São Paulo, para o enterro em Poá.

Publicidade