Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Polícia apreende helicóptero usado na morte de líderes do PCC

O piloto Felipe Ramos Moraes é um dos investigados pelo assassinato de Gegê do Mangue e Paca, há duas semanas, no Ceará

Por Estadão Conteúdo Atualizado em 1 mar 2018, 21h30 - Publicado em 1 mar 2018, 19h26

Policiais civis do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) apreenderam o helicóptero usado no assassinato de Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Souza, o Paca, apontados como as maiores lideranças soltas do Primeiro Comando da Capital (PCC). O crime aconteceu há duas semanas na reserva indígena Jenipapo Kanindé, em Aquiraz, na região metropolitana de Fortaleza (CE).

Segundo o Deic, o helicóptero e outra aeronave apreendida pela polícia pertencem ao piloto Felipe Ramos Moraes, suspeito de ter se envolvido na morte dos dois integrantes da facção criminosa. Os policiais encontraram também duas lanchas em marinas de Santos e do Guarujá, no litoral sul paulista, que seriam de Moraes.

Os dois mortos no Ceará haviam comprado nos últimos meses quatro imóveis no estado, incluindo uma casa no condomínio Alphaville, em Aquiraz. Só ali a dupla gastou 2 milhões de reais. Paca passou férias em Fortaleza em 2017. Ele e Gegê fretaram um ônibus para levar os familiares até a capital cearense. Depois, despediram-se dos familiares – que entraram no ônibus – e embarcaram no helicóptero.

  • A aeronave havia saído de São Paulo levando pelo menos cinco homens. O piloto seria Felipe Moraes. Os demais integrariam a facção. A inteligência da polícia acredita que o grupo tenha partido para o Ceará já com a missão dada pela cúpula para matar os chefes.

    Depois do embarque em Fortaleza, o helicóptero pousou em Aquiraz, onde os dois foram executados. Gegê e Paca levaram tiros no rosto e facadas nos olhos.

    Continua após a publicidade
    Publicidade