Clique e assine a partir de 9,90/mês

PMs suspeitos de roubar objetos de morto são afastados

A carteira do médico, contendo cartões bancários e a quantia de 300 reais, só foi entregue na delegacia, após policiais serem questionados por delegado

Por Da Redação - 1 abr 2011, 17h08

Os policiais filmados retirando objetos pessoais do cirurgião plástico E.R.M.C, de 55 anos, morto em um clube na Glória, no Rio de Janeiro, no último sábado, foram afastados das ruas, segundo a Polícia Militar.

Por conta do ocorrido, a PM instaurou inquérito para apurar o comportamento dos dois policiais. Eles aparecem em imagens de circuito interno retirando objetos pessoais do médico, como um cordão e um relógio, que estavam guardados em um armário no vestiário do clube.

A carteira de documentos do médico, contendo cartões bancários e a quantia de 300 reais, só foi entregue na Delegacia do Catete na terça-feira, após os PMs serem questionados pelo delegado. Conforme o andamento do inquérito, os policiais podem ser presos por apropriação indébita.

Morte

Continua após a publicidade

A Polícia Civil concluiu as investigações sobre a morte do cirurgião plástico ocorrida no interior do “Club 117”. Foi apurado que o médico morreu por causa de um edema agudo dos pulmões, conforme o laudo emitido pelo Instituto Médico Legal (IML).

Segundo o delegado Pedro Paulo Pontes Pinho, a morte natural ficou evidenciada devido ao laudo e os depoimentos de amigos, parentes do cirurgião plástico, do garoto de programa que estava em companhia dele, além de funcionários do clube.

(com Agência Estado)

Publicidade