Clique e assine a partir de 9,90/mês

PM sobe em telhado para jogar pedra em manifestantes

Vídeo divulgado pelo vereador Jefferson Moura mostra o ataque do agente sem camisa, na terça-feira. Corregedoria diz que 'tomará as devidas providências'

Por Da Redação - Atualizado em 10 dez 2018, 09h58 - Publicado em 4 out 2013, 17h24

Um policial militar sem camisa subiu ao telhado da Câmara de Vereadores do Rio na última terça-feira, durante a manifestação de professores contra a votação do Plano de Cargos e Salários, e lançou pedras em manifestantes que estavam na rua. Um vídeo que mostra ação do policial foi divulgado pelo vereador Jefferson Moura (PSOL), que recebera a filmagem de funcionários da Casa.

Leia também:

Leia também: Na greve dos professores, predomina a intransigência

https://www.youtube.com/watch?v=8A0O6jZ95Wk

Continua após a publicidade

Após a divulgação, a subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança do Estado informou que o policial foi identificado e que o material foi encaminhado à Corregedoria Interna da PM, “que tomará as devidas providências”. O policial seria lotado no serviço reservado da corporação. “Mais um flagrante de repressão descontrolada. Este sujeito só teve acesso ao telhado da Câmara com autorização de alguém”, comentou o vereador Renato Cinco, também do PSOL.

Policial com foto de cassetete quebrado, supostamente depois da manifestação dos professores no Rio

Policial com foto de cassetete quebrado, supostamente depois da manifestação dos professores no Rio (VEJA)

Imagens divulgadas em redes sociais indicam que policiais também teriam se posicionado nas duas cúpulas do Palácio Pedro Ernesto, que ficou sitiado durante a votação, para lançar bombas contra manifestantes na Cinelândia. O Plano de Cargos e Salários acabou sendo aprovado. Apenas nove vereadores, entre eles Moura e Cinco, deixaram a sessão e recusaram-se a votar enquanto professores eram espancados do lado de fora, sob uma chuva de bombas de gás.

A Polícia Militar também está às voltas com outra imagem: um PM aparece, em uma foto no Facebook, com um cassetete quebrado. A foto é acompanhada da legenda “Foi mal, fessor”, como referência à repressão aos protestos da última semana. O perfil que publicou a foto é “Tiago Tiroteio”. A corporação informou que investiga o caso.

Continua após a publicidade

Leia também:

Sindicato dos professores do Rio é reprovado em matemática

PM proíbe uso de balas de borracha em protestos

PM que teria forjado flagrante lançou spray de pimenta contra professores

Continua após a publicidade

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade